Distribuidora: Fox Film | Estreia: 02/11/2017 | Gênero: Romance, Drama | Duração: 01:47h



O KARMA É UMA COISA SÉRIA! Após abandonar o Di Caprio para congelar em Titanic, chega às telonas o longa “Depois Daquela Montanha” onde é a vez de Kate Winslet lutar contra o frio extremo (😂). O filme é uma adaptação do livro homônimo do autor Charles Martin, publicado no Brasil pela editora Arqueiro.


Acompanhamos a jornalista Alex (Kate Winslet) e o cirurgião Ben (Idris Elba) que se encontram isoladamente em uma situação complicada após o cancelamento do voo que iriam embarcar, devido a uma tempestade. Ela irá se casar no dia seguinte e ele é aguardado com urgência para operar uma criança de 10 anos. O caminho dos dois irá se cruzar quando Alex, após ouvir a história do cirurgião, decide chamá-lo para fretar um voo particular até Denver, onde de lá poderão seguir sem problemas, cada um para seu destino final.



Após encontrarem Walter, um piloto veterano, irreverente e principalmente que aceita fazer o percurso mesmo com o alerta da tempestade, eles embarcam sem nem o plano de voo e ainda com a companhia do cachorro do piloto. A situação se complica quando Walter tem um AVC durante  o trajeto, fazendo com que a pequena aeronave caia em uma cadeia de montanhas gélidas. Alex, que ficou bastante machucada, contará apenas com Ben para juntos encontrarem uma saída que leve à sobrevivência, e no meio desse caminho pode ser que encontrem também o amor.


O filme é bom e a história muito bonita. Dono de uma fotografia impressionante, apresenta diversos elementos já conhecidos no gênero: o casal que inicialmente não se conhece, uma situação de quase morte, várias desavenças e discussões, a descoberta do possível amor, perdas e reencontros, enfim, todo aquele drama e romance pra ninguém botar defeito, o que é um prato cheio pra quem gosta.



Sobre a atuação, basicamente estão no filme Kate Winslet e Idris Elba somente, e sobre os dois posso confirmar que mais uma vez trabalham muito bem. Sou suspeita para falar deles pois acho a Kate maravilhosa e o Idris (além de muito lindo) muito competente. Porém, preciso fazer uma observação: o casal, pra mim, não funcionou, achei que faltou química. Faltou algo que me fizesse torcer por eles. Ao pensar nos motivos disso ter acontecido, cheguei à conclusão que muito provavelmente é por causa da situação de estresse e luta por sobrevivência que “gerou” este amor, e em minha opinião se confunde muito com o medo da morte e cooperação para vencer a situação.


O filme entra em cartaz em todos os cinemas a partir do dia 02 de novembro e, para os fãs literários do gênero, além de uma opção nas telonas ele entra também na listinha de leituras futuras.