CRÍTICA DE ESTREIA – BONECO DE NEVE (SNOWMAN)

23 novembro, 2017 por
SNOWMAN MOVIE

Distribuidora: Universal Pictures | Estreia: 23/11/2017 | Orçamento: U$ 12 milhões | Gênero: Suspense, Mistério | Duração: 01:59h



Acontece hoje a estreia do filme “Boneco de Neve”, uma
adaptação do livro homônimo de Jo NesbØ publicado no Brasil pelo Grupo Editorial
Record
. Com a promessa de suspense e mistério na reprodução para as telonas da
história do autor que tem sido sucesso no gênero, o filme traz grandes nomes no
elenco e um trailer eletrizante. Mas entrega isso tudo?

O filme conta a história do detetive Harry Hole (Michael
Fassbender), um nome famoso na cidade de Oslo (Noruega, onde se passa a
história), e que agora luta contra o alcoolismo e a solidão após abandonar sua
ex-namorada e seu enteado. Harry esteve envolvido em uma série de casos de desaparecimento
de mulheres onde no local é sempre deixado um boneco de neve, e se vê envolvido
novamente nessas histórias com a chegada da detetive Katrine Bratt (Rebecca
Ferguson), transferida da cidade de Bergen e que aparenta ter um interesse
pessoal escondido.

Ambos irão aprofundar nas histórias das vítimas e assim tentar
encontrar um padrão para os crimes que já ultrapassaram os limites da cidade.
Inicialmente, o que percebem de imediato é a coincidência de todas as mulheres
serem mães e viverem algum tipo de relacionamento fracassado. Seguindo diversas
linhas de investigação, o caminho dos detetives irá cruzar com o do magnata
Arve Stop (J.K. Simmons) e do antigo investigador Rafto (Val Kimer). Combinado
a um bilhete recebido por Harry avisando de um crime e assinado com um desenho
de um boneco de neve, eles vão precisar correr contra o tempo para solucionar o
mistério.




Antes de qualquer coisa eu preciso avisar a vocês que ainda não li
o livro, embora esteja na minha lista há tempos. Sendo assim, fiquei bastante empolgada
quando soube deste lançamento e fui com bastante expectativa assistir ao filme,
porque né… A famosa adaptação de Jo NesbØ. Porém se eu pudesse resumir em uma
palavra seria:
CONFUSÃO! Vou colocar pra vocês a sinopse de divulgação do filme
pra falar melhor sobre o que aconteceu:
Quando uma mulher desaparece, a única pista
deixada para trás é um cachecol rosa encontrado envolta de um estranho boneco
de neve. O detetive Harry Hole começa suas investigações e percebe que o crime
parece obra de um 
serial
killer.


A proposta é boa e tem
muito mais mistério do que é apresentado. A ideia de um boneco de neve ser
colocado no local de um crime olhando para a vítima é assustador, mas neste
caso eles quase nem apareceram ou tiveram qualquer impacto (mesmo sendo responsáveis
pelo título do longa), eu mesmo até achei que os detetives nem tinham percebido
esse detalhe ainda (???) e o “cachecol rosa” da primeira vítima eu nem vi! O
ritmo do filme é tão lento que nem parece se tratar de uma investigação. Além
disso, é composto por diversos saltos no tempo, um misto de passado e presente
variando a localidade do acontecimento e que não ficam claros para o
expectador. Uma espécie de retalhos, com partes que não se ligam, não se
justificam, e no fim resultam em algo com pouco sentido e cheio de pontas
soltas.


BONECO DE NEVE FILME


Sobre atuação, apesar de
nomes incríveis estes foram bastante “subutilizados”. É claro perceber como o
elenco estelar foi pouco explorado, com diálogos fracos, expressões minimizadas
e personalidades muito mal construídas. Tendo como exemplo os principais Harry e
Katrine (Fassbender dispensa comentários e Rebecca Ferguson é uma atriz que eu
adoro desde seu papel principal na série britânica pouco divulgada chamada “The
White Queen”), pouco é dito sobre a vida, carreira, ações e traumas destes, o
que dificulta qualquer identificação ou sensibilização no público. J.K. Simmons
não poderia ser mais apagado e desnecessário, assim como Val Kimer que aliás
parece até estar sendo dublado em todas as suas cenas (até agora não sei se foi
mesmo).
Mas pra não dizer que só
vi o lado negativo, o filme tem uma fotografia incrível em uma região que
justifica o título do filme. Em algumas entrevistas o diretor do filme Thomas
Alfredson
alegou pouco tempo para as gravações na Noruega, o que resultou na
falta de cenas para a finalização da história, mas convenhamos, essa não foi
uma desculpa muito boa. Ao sair da sala de cinema a minha grande dúvida foi se
o livro é de história única ou possui mais volumes, visto que a história ficou com
grandes partes em aberto, e descobri que existem vários outros volumes contando
“aventuras” do famoso investigador. Essa talvez seja uma alternativa que me
convença um pouco mais (mas bem pouco).

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário

4 Comentários

  • Carol Campos
    novembro 24, 2017

    Nossa! Estava botando a maior fé nesse adaptação, ouço bons comentários a respeito do autor e do livro em questão e ao terminar de ler a crítica, só posso dizer que decepção. De fato a trama tinha tudo para ser bem aproveitada e foi totalmente desperdiçada, o elenco então… Bem ruim quando isso acontece agora, ainda assistirei ao filme mas sem aquela expectativa toda.

    https://twitter.com/CaarolForbes/status/933856706425171968

    • Karina Rodrigues
      fevereiro 01, 2018

      Depois me conta o que achou. Eu ainda vou ler o livro, mas expectativa está baixa. Bjos

  • Camille Ferreira®
    novembro 23, 2017

    O filme pela resenha não pareceu tudo aquilo, conforme o trailer faz acreditar. Voce chegou a ler o livro? Será que é melhor? Fiquei bastante curiosa, ja algum tempo namoro a capa do livro e nao compro. Eu queria ver esse filme, agora fiquei na duvida. Mas quem sabe?

    • Karina Rodrigues
      fevereiro 01, 2018

      Pois eh… Eu ainda não li, mas confesso que me desanimou um pouco. Vamos ver qndo for a cez dessa leitura se eu mudo de opinião.