Cordialmente Cruel é o primeiro livro da trilogia The Truly Devious, da autora Maureen Johnson, conhecida por sua série Sombras de Londres, e que foi lançado em 2019 pela editora Harper Collins.

A história se passa no Instituto Ellighan, uma escola fundada na década de 1930 por Albert Ellighan, um magnata que queria reunir os jovens mais promissores, fornecendo uma educação gratuita e livre, com enfoque em jogos e raciocínio lógico. A escola foi construída em uma região isolada de Vermont, um local de difícil acesso, mas com todo o esplendor que o dinheiro pode proporcionar. Eram várias construções, que incluíam moradias para os estudantes, laboratórios e salas de aula, e o casarão do magnata, onde ele morava com a família.

Mas a propriedade não se mostrou segura, uma vez que a esposa e a filha de Albert foram sequestradas, e uma carta com um poema em letras recortadas de revistas foi entregue, assinado por Cordialmente, Cruel. Uma aluna é assassinada e, apesar de seguir todas as regras dos sequestradores, Albert não consegue resgatar sua família. Mesmo que um culpado acabe sendo apontado, ficam muitas dúvidas se ele seria mesmo o autor do crime – mesmo porque nunca contou o destino das vítimas.

“Olhe! Uma charada!
Hora de brincar! Uma corda ou uma arma, qual devemos usar?
Facas são afiadas e tem um brilho tão lindo Veneno é lento, o que é um castigo
Fogo é festivo, afogamento demora Enforcamento é um jeito nodoso de ir embora
Uma cabeça quebrada, uma queda grave, Um carro colidindo contra uma trave Bombas fazem um barulho bem animado, Tantas formas de punir meninos malcriados! Qual devemos usar? Não conseguimos decidir. Assim como você não pode correr ou fugir. Haha.
Cordialmente Cruel”

Cordialmente Cruel

Temos um salto de cerca de 80 anos, quando novos estudantes chegam à escola. Entre eles temos Stevie Bell, uma jovem ficcionada por histórias de crimes, fã de Sherlock Holmes e dos livros de Agatha Christie, mas que também acompanha crimes reais, e que tem a sensação de que pode resolver o mistério acerca do crime cometido nessa escola. Ela vai morar na residência Minerva, e lá faz amizades com os outros alunos. Com suas crises de pânico razoavelmente sob controle, não contava com o retorno de ‘Cordialmente Cruel”, e se vê no meio de uma investigação. Na ânsia de descobrir os mistérios – do passado e do presente, Stevie se preocupa se não está se deixando levar por sua obsessão!

“… Está na hora de brincar!
Cordialmente Cruel
Volta a atacar.”

Cordialmente Cruel

Cordialmente Cruel caminha nas duas linhas temporais, nos dando tempo de absorver os acontecimentos do passado. O que se sobrepõe é o instituto, cuja arquitetura e disposição das casas está bem representado em um mapa logo no início da história – adoro livros com mapas!

Sou fã de tramas de suspense, e a autora conseguiu imprimir um bom ritmo, sem deixar cair o suspense. Muitos mistérios vão sendo lançados, e isso nos deixa sempre atentos aos acontecimentos.

“Stevie não tinha medo dos mortos. Os vivos, por outro lado, as vezes lhe davam arrepios.”

E justamente por ser fã que adorei conhecer a Stevie. Ela quer se tornar uma investigadora do FBI, e tenta empregar os ensinamentos dos detetives literários o tempo todo. Em dado momento, ela abre um cadeado usando grampos, e adorei ela tentando se explicar – como alguém que quer desvendar crimes busca um tutorial para aprender a abrir cadeados? Faz sentido para a Stevie, e fez sentido pra mim.

“Então ela se voltou para o outro remédio – seus mistérios. (…) e quando sua cabeça trabalhava num mistério, ela não entrava em pânico.”

Os colegas da casa Minerva são bem interessantes, mesmo que eu tenha ficado perdida no início. Janelle (uma aluna não branca e lésbica) Ellie, Nate (ranzinza), Hayes (youtuber de sucesso) e David tem personalidades e gostos bem diferentes, mas gostei de como uma amizade surgiu com alguns. Além de um interesse romântico – quase uma sugestão, e não atrapalha em nada o andamento do mistério.

Cordialmente cruel traz vislumbres do passado, mas envolto em tanta neblina, que nos deixa meio perdidos mesmo. Não consegui desenvolver muitas teorias, e me surpreendi com alguns rumos que a trama tomou. Stevie consegue descobrir muita coisa, mas está longe de ter um panorama completo dos dois mistérios. E ver esses alunos passeando por esse campus cheio de túneis, passagens secretas, caminhos que não levam a lugar nenhum, portas escondidas deixava aquele friozinho atrás da orelha. O Sr. Albert construiu a escola para ser um mistério a ser desvendado, como seus jogos e suas adivinhações, mas ele mesmo não conseguiu decifrar tudo a tempo. Cabe a Stevie esse trabalho!

“Onde você procura alguém que nunca está ali de verdade? Sempre numa escada, mas nunca num degrau.”

LIVRO MAUREEN JOHNSON

Com uma boa reviravolta ao final, já adianto que muita coisa foi guardada para os próximos livros – felizmente o segundo livro acabou de ser publicado, então em breve trarei minha opinião acerca de A escada furtiva.

Cordialmente Cruel foi uma leitura empolgante, que me deixou animada com a quantidade de mistérios a resolver, e que trouxe uma ambientação e personagens que ajudaram a me deixar curiosa. Um suspense jovem, recomendo para quem gostou de Os Amadores (Sara Shepard), Um estudo em Charlotte (Brittany Cavallaro), Mentirosos (E. Lockhart), Um de nós está mentindo (Karen M. McManus).

__________________________________________________________________________________________________________________

CORDIALMENTE CRUEL Título:  Cordialmente Cruel
Autor:  Maureen Johnson
Tradução: Paula Di Carvalho
Ano: 2019
Páginas: 320
Editora:  Harper Collins
Gênero:  Suspense e mistério, Jovem adulto
Compre usando nosso link da AMAZON