LIVROS

COLUMBINE – DAVE CULLEN | RESENHA

20 dezembro, 2019 por

COLUMBINE – DAVE CULLEN

Columbine, do jornalista e autor Dave Cullen, é um livro que relata detalhadamente o famoso caso do Massacre de Columbine. Cullen é conhecido como o maior especialista em massacres juvenis, e hoje eu venho pra dividir com você minha experiência com esse compêndio reunido e organizado pelo autor.

O dia 20 de abril de 1999 é a data do maior massacre acontecido nos Estados Unidos. Os jovens Eric Harris e Dylan Klebold planejaram nos mínimos detalhes o ataque que intentariam contra a escola Columbine High School. Cullen, que estava pelas redondezas almoçando, chegou à escola quando soube do acontecido. Ele viria a se tornar alguém dedicado a contar essa história.

Cullen, que acredita que vivemos uma época de banalização da maldade, há 20 anos, se tornou confidente dos sobreviventes e elo às testemunhas. Em Columbine, livro publicado nesse ano pela editora DarkSide Books, podemos buscar compreender o que Eric e Dylan pretendiam, o que conseguiram executar, e como as coisas aconteceram após os adolescentes tirarem as próprias vidas.

Sou alguém que se julga muito forte para lidar com esse tipo de literatura. Mas, acredito que por 2019 não ter sido um ano nada fácil para mim, agregando o fato de eu ser mãe e ver meus filhos indo para a escola todos os dias, o livro não foi fácil de digerir. Espero conseguir me fazer entender melhor no decorrer da resenha.

Descobrimos logo no início do livro que Eric e Dylan se organizaram e se armaram para causar o maior estrago possível. A ideia de Eric era plantar bombas, tanto dentro da escola, quanto fora dela, para atingir o maior número possível de vítimas. Depois que os até então, projeto de assassinos, começassem a ativar as bombas contra os alunos e professores no horário onde a frequência no refeitório era maior, eles estariam posicionados do lado de fora (no estacionamento da escola) para atirar contra aqueles que fugissem de dentro da escola.

Cullen nos traz em Columbine fatos que perpassam a vida cotidiana de Eric e Dylan, o que não deixa de ser uma forma de análise para que tentemos encontrar uma razão, um motivo, um por que para que dois jovens, com famílias estruturadas, decidissem por algo tão vil e desumano. E o autor fez questão de pontuar esses detalhes com entrevistas com os sobreviventes, seus familiares e testemunhas. Não foi uma ou duas vezes que Cullen ressaltou erros ou confusões nos relatos. Tudo estava muito recente ainda. Ele foi o primeiro jornalista a entrar na escola Columbine após o massacre.

COLUMBINE – DAVE CULLEN

Os adolescentes buscavam um número extraordinário de vítimas, e visavam destruir a escola. Eles queriam entrar para a história como os assassinos do maior número de vítimas já conhecido. As baixas do massacre foram poucas, mas devastadoras. 12 adolescentes, pessoas com toda uma história de vida para ser escrita. Jovens que conviviam diariamente na escola e na cidade com os assassinos. Um professor também não resistiu aos ferimentos de bala e morreu esvaindo-se em sangue durante trágicos momentos onde a polícia não tinha certeza se deveriam adentrar e tomar a escola Columbine.

Esse livro é uma das obras de não ficção mais completa que já tive o ‘prazer’ de ler. Cullen se ateve a estudar milhares de páginas dos relatórios policiais, vídeos que os adolescentes assassinos deixaram (de propósito) para trás, examinou diários e até mesmo exercícios que os garotos realizavam na escola. Achei deveras honesto o apanhado que o autor fez para a confecção desse livro, e a forma como contou a história. Eu não consegui enxergar nenhum traço de sensacionalismo. Porquanto percebi um jornalista muito dedicado e empenhado a contar uma história que maculou tantas vidas, tantas histórias, bem como a dele próprio.

Muitos mitos e lendas foram caindo ao longo da leitura desta obra. Os assassinos não eram jovens reclusos, não sofriam bullying desenfreado, não tinham famílias desestruturadas, não sofriam agressões, eles também não foram movidos por letras indutivas de Marilyn Manson. Contudo, o que Cullen fez foi tirar essa máscara de párias sociais, e revelar a face de dois jovens comuns, que sem maiores motivos resolveram entrar para a história eliminando o máximo de vidas possíveis, incluindo a deles.

 

Eric Harris me fez acreditar com seus atos rotineiros e todo seu planejamento do massacre a Columbine, que com certeza ele preenche os requisitos para ser considerado um psicopata. Ele mentia fria e desenfreadamente, não sentia remorso, manipulava tudo e todos que estivessem a seu alcance, empatia então era algo que ele não sabia nem que existia, além de se considerar o maior e melhor em tudo que fazia – sentimento de grandiosidade.

Já Dylan tinha um perfil mais acanhado, tendendo a depressão. Pelo que se pôde abstrair de suas anotações e comportamento, ele tendia muito mais a ser um suicida do que um assassino em massa. Compreende-se que ele era ‘seguidor’, enquanto Eric era quem orquestrava tudo que já fizeram de errado. Porque sim, eles aprontaram algumas antes do dia 20/04/99.

Finalizando, Cullen nos traz muitos capítulos (cinquenta e três) contando a história dos atiradores e de suas famílias, da vida das vítimas e dos seus familiares, sobre a investigação e atuação policial e contato com as testemunhas que nem sempre guardavam uma versão totalmente correta do que aconteceu. Temos também posfácio, trechos dos diários dos garotos assassinos, muitas notas e referências, assim como apêndices, linha do tempo, diagrama da escola, e um ou outro exercício corrigido por professores.

COLUMBINE – DAVE CULLEN

Ademais, a edição, como não poderia deixar de ser, é de uma qualidade indescritível. Desde o toque sensível da capa, à fitinha para marcar página com o tema Crime Scene. Fico sempre encantada com a dedicação da editora em nos entregar um material tão bem feito, e com o conteúdo tão esclarecedor. Se você for uma pessoa sensível – que se impressiona com relatos de histórias reais trágicas, e/ou for menor de 18 anos a leitura dessa obra não é recomendada.

______________________________________________________________________________________________________________

 

Título: Columbine
Autor: Dave Cullen
Ano: 2017
Páginas: 480
Gêneros: Não ficção, Memórias, Biografia
Nota: 5/5
Adicione à sua lista do Skoob
Onde Comprar: Amazon

 

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário

36 Comentários

  • Maria Luíza Lelis
    janeiro 09, 2020

    Oi, tudo bem?
    Eu não conhecia esse livro, mas é uma leitura que eu com certeza não faria. Só de pensar em tudo que aconteceu ali, não tenho o menor interesse em ler relatos das vítimas ou em tentar entender o que motivou os assassinos (para mim, é algo que não tem explicação). Acho que deve ser uma leitura difícil e dolorosa, pelo menos, acredito que seria para mim.
    Vou passar a dica dessa vez, mas adorei sua resenha. E vale destacar que, pelas fotos e seus comentários, dá para ver que a edição está impecável. DarkSide arrasando como sempre.
    Beijos!

    • Carol Nery
      Carol Nery
      janeiro 09, 2020

      Te entendo, Maria Luíza. Não é uma leitura fácil de jeito nenhum. E se você quer evitar por isso, não tem porque não fazê-lo!!
      Grande beijo

  • Ivi Campos
    janeiro 03, 2020

    Este livro está na minha lista de desejos desde que foi lançado e sei que será uma leitura visceral para mim, mas a sua resenha conseguiu ne instigar ainda mais. Espero poder ler em.breve.
    Beijos

    • Carol Nery
      Carol Nery
      janeiro 06, 2020

      Ivi, tenho certeza que será uma experiência que vai te marcar. Eu fiquei bem balançada. Boa leitura!!!

  • Lucy
    janeiro 03, 2020

    Oi, Carol! Caramba, esse livro não deve ter sido fácil pra vc mesmo. Eu, mesmo não sendo mãe, ficaria de cabelo em pé. É bem agridoce saber que essa história é não ficção e que aconteceu de verdade. Dói saber que existem pessoas como Eric e que muitas estão soltas por aí… Não sei se leria no momento, mas quero tentar ler futuramente.
    Bjos
    Lucy – Por essas páginas

    • Carol Nery
      Carol Nery
      janeiro 06, 2020

      Lucy, adorei seu comentário. Ele é bem empático, porque você entendeu mesmo como deve ser duro passar por algo assim, mesmo ainda não tendo filhos. Tanto na situação dos pais que perderam filhos assassinados, quanto dos pais que seus filhos mataram outros e tiraram suas próprias vidas. Triste e pesado! E nunca sabemos quem poderá fazer um mal assim ao outro ou a nós mesmos.

  • Luna
    dezembro 31, 2019

    Eu nunca tinha ouvido falar desse massacre em específico e fiquei horrorizada enquanto lia sua resenha. Meu Deus do céu! Sei que muitos outros massacres existiram depois (até mesmo no Brasil), mas eu não canso de me perguntar como alguém consegue fazer algo tão monstruoso. Parece impossível que um ser humano possa matar de modo tão frio, tão cruel, todavia é o que mais vemos. Pessoas destruindo as vidas dos outros sem remorsos.

    Leio muitas coisas diferentes e até li recentemente A Rosa Branca, um livro que conta a história real dos estudantes alemães que foram executados por lutarem contra o nazismo e sofri demais com esse livro, mesmo assim ele se tornou um dos meus preferidos da vida. Todavia, não sei se eu aguentaria ler Columbine. Talvez um dia, mas já sei que vou ficar destroçada. Essas famílias ficaram destruídas para sempre. É um buraco que fica, uma dor que nunca vai passar. 🙁

    • Carol Nery
      Carol Nery
      janeiro 06, 2020

      Luna, mesmo sabendo como a maldade está aí, destroçando a vida das pessoas, é muito bom saber que existem pessoas como você que se dói com a dor do outro. Essa empatia é que faz o mundo ainda valer a pena, sabe?
      Se não der conta de ler ele, não passe perto por enquanto. Uma hora dessas, se der, você encara ele.
      Beijão, querida.

  • Ana Caroline Santos
    dezembro 30, 2019

    Olá, tudo bem? Nossa, seria uma história que mexeria muito comigo, pois como o autor mesmo fala, vivemos numa época de banalização da violência e comportamentos inexplicáveis que o ser humano pode fazer com o outro. Como era muito pequena quando houve o atentado, nunca me aprofundei no assunto, mas já vi diversos casos semelhantes nos EUA. Fiquei curiosa porque parece ser um relato bem completo, e que também dá abertura ao leitor para entender tudo que aconteceu. Ótima resenha!
    Beijos

    • Carol Nery
      Carol Nery
      janeiro 06, 2020

      Verdade, Ana. O trabalho do jornalista foi muito bom e bem completo! Dá pra gente encarar esse fato horroroso por diversos prismas. O que não acontece, é haver uma explicação. Infelizmente!!!

  • Luiza Helena Vieira
    dezembro 28, 2019

    Oi, Carol!
    Columbine até hoje é usado como referência a ataque em escolas, pra ver o quanto marcou a sociedade. Tenho vontade de ler esse livro para saber mais do ocorrido.
    Beijos
    Balaio de Babados

    • Carol Nery
      Carol Nery
      janeiro 06, 2020

      Verdade, Luiza. Esse massacre acabou sendo referência quando se trata desse assunto. Triste demais. Porém, importante reconhecer esse tipo de comportamento e saber como tudo aconteceu.
      Beijão

  • Simeia silva
    dezembro 27, 2019

    Olá, qualquer notícia ou telão sobre massacresdesse tipo me perturbam demais, principalmente poque aconteceram por aqui também. Sou mãe, medrosa e esse não seria um tipo de livro que eu leria. Uma Leitura assim seria muito perturbadora pra mim

    • Carol Nery
      Carol Nery
      janeiro 06, 2020

      Simeia, entendo seu lado! Realmente como mãe e como ser humano que não consegue pensar em fazer mal a NINGUÉM, também fiquei bem balançada, bem traumatizada. Surgem diversos medos na cabeça da gente. E o ser humano não tem limites, né mesmo?

  • Marijleite
    dezembro 27, 2019

    Olá, eu confesso que tenho um certo pé atrás com esse livro devido a comentários contrários a publicação dele que vi quando o lançamento pela Dark foi anunciado, mas gostei muito da sua resenha, pelo seu post me pareceu ser uma obra bem completa.

    • Carol Nery
      Carol Nery
      janeiro 06, 2020

      Oi Maria. Eu não tive acesso a esses comentários que você relatou quando aconteceu a publicação do mesmo. Mas, sim… você tem razão. Ele acabou sendo um livro bem completo, muito explicativo e um tanto pesado de se ler.
      Abraços

  • Paac Rodrigues
    dezembro 27, 2019

    to bem curiosa com essa obra, acho o caso columbine bem curioso se é que se pode chamar assim, e to querendo essa obra por achar as obras crime scene da dark bem bacanas 🙂

    • Carol Nery
      Carol Nery
      janeiro 06, 2020

      Eu também curto esse selo da DarkSide. Tenho vários, e quero em breve conseguir completar a coleção. História pesada, mas que abre muito nossa mente a respeito da maldade no outro e no mundo!

  • Lana Silva
    dezembro 27, 2019

    E a primeira vez que vejo falarem sobre esse livro, apesar de já ter ouvido falar do massacre não conheço a funda está história. Por isso e claro que após ler sua resenha fiquei totalmente interessada na leitura. Mas, e preciso ter uma certa estabilidade emocional para digerir todos esses fatos. Com certeza e um título que irei incluir na lista de desejados.

    • Carol Nery
      Carol Nery
      janeiro 06, 2020

      Lana, falou tudo! Precisa realmente se ter uma estabilidade emocional em dia. Complicado demais enfrentar todas essas realidades nuas e cruas. O ser humano realmente tem muita maldade no seu cerne.

  • Debyh
    dezembro 27, 2019

    Olá,
    Nos últimos tempos não li nada de não-ficção que tenha me chamado a atenção, então gostei bastante da proposta desse! Mesmo que o conteúdo pareça um pouco pesado acho que me interessaria em ler. Ótima indicação.

    • Carol Nery
      Carol Nery
      janeiro 06, 2020

      Oba, que bom que gostou da indicação!!! Realmente é um pouco pesado… na verdade, bastante pesado. É triste demais imaginar 2 adolescentes com vidas estabilizadas decidirem por fazer tanto mal e tirar a vida de tantas pessoas. Enfim! É o mundo.
      Abraços

  • Lilian de Souza Farias
    dezembro 26, 2019

    ‘acredita que vivemos uma época de banalização da maldade’ faz todo sentido, basta olhar o presidente dos EUA. Gostei do livro e também da capa, a editora sempre arrasa nas edições, um cuidado que agrada os leitores, a história certamente me comoverá, mas quero ler.

    • Carol Nery
      Carol Nery
      janeiro 06, 2020

      Sim, essa história comove e mexe com o emocional da gente! Tem que ter garra pra não desistir no meio do caminho. Espero que seja uma boa leitura e uma experiência marcante. Abraços

  • Garoto de Outro Planeta
    dezembro 26, 2019

    Nossa, que pesado! Não sei se eu leria, mas deve ser bom para quem estuda essas coisas de investigação criminal!

    • Carol Nery
      Carol Nery
      dezembro 26, 2019

      Verdade, é pesado mesmo! Eu adoro estudar essa área. Análise do Comportamento desse tipo de criminosos é o que mais me fascina na área. Mas, não é mole não!

  • Alisson Gomes
    dezembro 25, 2019

    Eu acho esse tipo de leitura tão pesada e tão triste, eu pessoalmente não a faria porque sei que eu ficaria muito para baixo ao fazê-la, eu sei que tem gente muito ligada nesse tipo de leitura, mas não é das minhas, saber como foi planejado, como se deu, chega a me dar arrepios, já não acredito muito nas pessoas, ler um livro desses me faria acreditar menos ainda!!

    Beijos!
    Eita Já Li

    • Carol Nery
      Carol Nery
      dezembro 26, 2019

      Eu compreendo seu posicionamento. Mas, como tudo na vida, é necessário que tenha quem se interesse por cada tipo de coisa, né?
      Que 2020 lhe traga excelentes leituras no seu nicho preferido!! Beijão

  • Rayanni
    dezembro 23, 2019

    Olá, tudo bem? Nossa que tragédia, eu já li algumas reportagens sobre esse massacre e quando eu vi que a Dark ia lançar uma edição sobre a história eu fiquei bem curiosa. Achei o livro bem informativo e detalhado, pois pelas pesquisas que eu fiz não havia achado tantos resultados como trazem a leitura.
    É uma pena o que aconteceu, mas é algo que precisamos ler e entender para fazer com que casos como este sejam cada vez menores no mundo.

    • Carol Nery
      Carol Nery
      dezembro 23, 2019

      Verdade, Rayanni. Uma tragédia horrorosa, mas as informações são muito importantes para que fiquemos atentos a respeito do que pode vir acontecer novamente.
      Eu senti essa leitura bem pesada e triste. Mas, essencial.
      Beijão

  • Bianca Ribeiro
    dezembro 22, 2019

    Eu amo muito True Crime e esse livro sobre Columbine é um que eu queria muito ter a versão traduzida! Eu só tenho a versão gringa mas eu ainda não li, tô lendo um outro hahahahaha
    Esse caso chocou tanta gente e até o que teve aqui no Brasil recentemente, dizem que foi “inspirado” no massacre de columbine. Eu ficaria presa demais nessa leitura também hahahhaa
    Adorei sua resenha e suas fotos transmitem uma aura muito surreal, amei.

    • Carol Nery
      Carol Nery
      dezembro 22, 2019

      Nossa, também sou viciada nessa literatura sobre Crimes e Criminosos. Não sei o motivo de me chamar tanto a atenção… Mas, é fato que me prende e quero saber de tudo.
      Espero que consiga sua edição da DarkSide Books que como sempre, está um luxo.
      Abraços

  • Nique Bittencourt
    dezembro 21, 2019

    Gosto desse tipo de leitura, que você acaba ficando preso e quer ler todo o livro. Já vai pra minha lista de livros pra ler urgente.

    • Carol Nery
      Carol Nery
      dezembro 22, 2019

      Nossa, realmente a gente fica agarrado, sem chances de perder a atenção. Tomara que você consiga tê-lo e aproveite a leitura. Beijos

  • Marilene
    dezembro 20, 2019

    Ótimo resenha,Carol! Se uma ficção onde estranhamente, o tema atrai,ao mesmo tempo que deixa abismado, imagine ser um relato de uma história real!! Imagino ser uma leitura que prende mesmo, já despejando desde uns flashes de quando estava lendo, quem sabe para 2020!

    • Carol Nery
      Carol Nery
      dezembro 22, 2019

      Amiga, nós como mães já ficamos abaladas lendo esse tipo de literatura. Imagino você, que além de mãe é professora!!
      Com certeza será um acréscimo lindo à sua biblioteca pessoal. Obrigada pelo apoio de sempre. Beijão