busca implacável

Busca Implacável é uma trilogia que eu particularmente adoro. Graças a minha família, virei fã de filmes que tenham muita ação (minha tia, principalmente, adora além dos de ação, aqueles horríveis que tem sempre animais atacando as pessoas, e eu vejo vários filmes com ela). E esse filme, tem algumas das coisas que eu mais gosto no gênero: muita dinâmica, as cenas vão se desenrolando prendendo a sua atenção na história, agentes secretos e inteligência. Vamos começar do inicio então.

Busca Implacável

 

No primeiro filme, conhecemos o protagonista Bryan Mills (Liam Neeson), um ex-agente do governo que deixou a carreira para que pudesse ter mais tempo com a sua filha Kim (Maggie Grace), e trabalha agora como segurança particular.
A trama se desenvolve quando Kim pede permissão para viajar até Paris, e Mills depois de prevenir a garota dos cuidados que deveria tomar a deixa viajar. O problema e: Kim e sua amiga Amada (Katie Cassidy) desaparecem nesse local. Antes de desaparecer, Kim consegue ligar para o seu pai e avisar que tem pessoas estranhas em seu quarto, em um último pedido de ajuda.
É aí que a ação começa. Bryan vai ate Paris e sai em uma busca por sua filha utilizando dos meios que ele aprendeu, como agente do governo. Não irei dar spoilers, mas o filme tem muita ação. Podemos ver como Mills utiliza de sua inteligência (assim como da força e do treinamento que recebeu) para descobrir quem são as pessoas que levaram as meninas.
Sinceramente, eu adoro os trabalhos do Liam, acho que isso se dá porque sou apaixonada por filmes de ação, mas a atuação dele não deixa nada a desejar, na minha opinião. O filme te deixa ansioso para saber se ele vai resolver as coisas e como vai resolver.
O longa ainda consegue tratar sobre a questão do tráfico de mulheres: as meninas foram levadas por traficantes, que esperam vendê-las. A direção é de Pierre Morel e o orçamento foi de 25 milhões de dólares.

Busca Implacável 2

Quando pensamos que a historia do Mills acabou, vem o segundo filme. Fazendo uma integração com o primeiro, a trama mostra o depois desse sequestro: Kim está tentando tirar carteira e com um namorado novo que não consegue apresentar ao pai por receio. Vemos Bryan tentando reconquistar Lenory (Framke Jansseen), sua ex-mulher e mãe de Kim, que está com um namorado novo.

Quando Mills descobre que o namorado cancelou uma viagem a China, onde Leny e Kim iriam descansar, ele as convida para ir até Istambul, na Turquia, onde ele irá trabalhar por uns dias. O que Mills não sabe é: o pai de um dos sequestradores mortos em Paris (no primeiro filme), também está em Istambul e quer se vingar dele.
Agora, não é Kim a pessoa a ser levada e sim Bryan e Leny. Mas antes de ser sequestrado, Mills consegue avisar Kim para fugir e dar especificações para ela conseguir encontrar os dois e ajudá-los a sair com vida.
No segundo filme, vemos como Kim entra em ação para salvar a família, e conseguimos ver também o laço que se fortalece entre os dois. Quem está à frente do longa dessa vez é o diretor Olivier Megaton e o orçamento foi de 45 milhões de dólares.

Busca Implacável 3

 

Ai chegou o terceiro filme, e eu já estava louca shippando Leny e Bryan e o que descobrimos? No intervalo de tempo Leny se casou com o namorado, mas está infeliz e continua se encontrando com Bryan. Kim está meio que morando junto com o namorado do segundo filme, Jimmy (Jonny Weston) e acaba de descobrir que está grávida.

Quando pensamos que tudo está bem demais na trama, Leny aparece morta na cama de Bryan (chorem, porque eu chorei e pasmei, toda na torcida dos dois :’( *sniif*). Como nada na vida do Mills é fácil ele é acusado de matá-la, mas consegue fugir da policia. Agora como esse cara consegue enganar os policiais é só em filme mesmo.
O que eu mais gosto na trilogia é que ele faz de tudo para proteger a família dele e machucar aqueles que os fizeram mal. Outra coisa, lógico, é a ação, o filme tem muitos dos elementos que eu acho interessante: inteligência e ação para escapar das enrascadas da vida. No terceiro longa Olivier ainda está na direção, e o orçamento foi de 48 milhões de dólares.
Se quiser fazer uma maratona de um bom filme desse gênero, Busca Implacável é para você. Ano passado (2016), Liam afirmou que não haveria uma continuação do filme “porque ficaria muito repetitivo se houvesse”, foi o que disse em uma entrevista. É bom que ele tenha parado quando a história ainda estava boa, ao invés de continuar prolongando o que não tem jeito. O que alegrou o coração, esse ano, foi quando em fevereiro Bryan voltou para a televisão, mas com uma série: uma história para outra hora.