“Bad boys, bad boys
Watcha gonna do
Whatcha gonna do
When they come for you”

Juro que pensei que 2020 iria ser um ano muito diferente do que foi 2019. Mas, o ano já começou tenso, difícil, com perdas na família, com devastação na cidade… E a gente percebe que não é porque dois dígitos mudam na data, que necessariamente as coisas vão ser tão diferentes assim.

Só estou comentando isso, contudo, porque eu PRECISEI ir assistir “Bad Boys: Para Sempre”. Sim! Eu estava muito desanimada e um pouco triste. Estava muito cansada também. Mas, mesmo assim fiz questão de acompanhar essa Cabine de Imprensa. Pretendo, com poucas palavras, te contar como foi minha experiência no último dia 28.

Já comentei por aqui que gosto muito de filmes de aventura e ação. Esses que nos tiram da realidade dos nossos dias (chatos). Quando vou ao cinema, a ideia principal é me divertir. Vou para ver coisa impossível mesmo. Para ficar impressionada e para dar risada. E foi por isso que “Bad Boys: Para Sempre” chamou minha atenção.

Will Smith (Um Maluco no Pedaço, 1990) e Martin Lawrence (Vovó… Zona, 2000) retornam ao terceiro filme da franquia Bad Boys. Will é o qualificado e indescritível detetive Mike Lowrey. Já Lawrence, pensando e se preocupando um pouco mais com sua família, vive novamente o detetive Marcus Burnett. A química dos dois atores continua intacta, mesmo após “Bad Boys 2” já ter completado 16 anos.

“Bad Boys: Para Sempre” irá estrear hoje nas salas de cinema aqui no Brasil, e lá na gringa já bate recordes de bilheteria – o que é uma das “garantias” para a produção de um quarto possível filme. Ah, e algo que não posso deixar de comentar… Sabe o que também volta com tudo nesse terceiro longa? A famosa ‘musiquinha’ de Bob Marley que é o tema dos descolados e estilosos detetives de Miami. E sim, você ficará cantando o refrão por dias a fio, antes e depois de ir assistir a película. Assim, similarmente, como eu!!!

Retornando à supracitada química entre os dois grandes atores do papel principal, acompanharemos uma espécie de crise da meia-idade. Para Marcus, que se torna avô do pequeno Marcus (também), a ideia é menos violência e mais tempo para família. Ele flerta com a aposentadoria. Já Mike acredita estar em ótima forma física e espiritual. Ele não quer parar, pois está com tudo em cima. Mas, a amizade é muito forte. Eles prometeram: Andamos juntos, Morremos juntos. E é Para Sempre.

Os atores continuam com a ‘veia’ de humor muito pronunciada. Isso realmente arrancou algumas boas gargalhadas durante a exibição. E eu me senti muito bem em deixar os problemas reais lá fora da sala do cinema por 2h. Depois a gente acaba voltando para realidade mesmo… Então o que conta, é aproveitar enquanto podemos. Prepare-se para rir e se emocionar com Smith e Lawrence, enquanto eles buscam encontrar e liquidar um atirador letal e vingativo. Posteriormente, esse assassino mexicano abala as estruturas da dupla, que implacavelmente, vai até o fim para solucionar mais esse caso.

Ressalto que não me importo nem um pouco se os responsáveis pela produção quiseram resgatar algo lá do século passado. Ah! Os anos 90 são recheados de muitos momentos marcantes. Sei que a nostalgia fala primordialmente alto na minha avaliação. Mas, e daí? Não se torna ruim por ser nostálgico. Foi na medida! No filme, caminhamos para o uso e abuso do grande ‘medo’ que todos temos de um dia não sermos mais úteis e/ou necessários. Entretanto, temos muita vontade de viver.

No lado dos caras maus, temos o ator Jacob Scipio (Waldo, 2020) como Armando Armas, e a atriz mexicana Kate del Castillo (A Rainha do Tráfico, 2011) como Isabel Aretas. Eles vivem filho e mãe. Duas pessoas unidas por sangue, mas ainda mais por ódio e sede de vingança. Eles serão o foco principal que unirá nossa dupla icônica com o pessoal da AMMO (os novos mocinhos).

Quando falamos de ‘mocinhos’, temos um novo time. Essa equipe é formada por: a tenente Rita (Paola Núñez); por uma policial especialista em invasões chamada Kelly (Vanessa Hudgens); por um nerd enorme e musculoso de nome Dorn (Alexander Ludwig); e por um hacker e atirador de elite chamado Rafe (Charles Melton). Gostei muito da cena em que a nova turma tenta cantar o lema dos renomados detetives. Bom alívio cômico naquele momento!

Finalizando, se divirta assistindo Smith e Lawrence, Mike e Marcus, os Bad Boys… Certamente é garantido que você terá alguns bons momentos de ação, enquanto os cinquentões tentam não fraturarem nenhum osso, ou serem assassinados por uma esposa muito brava. Chegaremos ao fim da inegavelmente emocionante trama de “Bad Boys: Para Sempre” com algo, que para mim, foi um belo de um ‘gancho’ para um novo Bad Boys. Só espero que não demorem muito para isso, pois, nossa dupla de Bad Boys já estão pintando os grisalhos fios de seus cavanhaques.

__________________________________________________________________________________________________________________

Data de lançamento: 30 de janeiro de 2020
Duração: 2h 04min
Elenco: Will Smith, Martin Lawrence, Vanessa Hudgens, Joe Pantoliano
Gênero: Ação, Comédia, Buddy Cop, Policial
Direção: Bilall Fallah, Adil El Arbi
Orçamento: 90 milhões USD
Produção: Will Smith, Jerry Bruckheimer, Doug Belgrad
Distribuidora: Sony Pictures