FILMES

AVES DE RAPINA – CRÍTICA DE CINEMA

06 fevereiro, 2020 por

 

Filmes Aves de Rapina

“Aves de Rapina” estreia hoje nos cinemas de todo o país, e o filme é bem louco como sua protagonista! Embora a equipe seja o título principal, a história é mesmo focada no subtítulo “Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa”, na sua luta por sobrevivência após o término de um relacionamento que a colocava em uma categoria de intocável na cidade. E o resultado disso tem muita violência, explosões, risadas insanas, cores e glitter.

O filme começa com o término do relacionamento entre Arlequina e Coringa, uma decisão mútua e sem consequências… Só que não. De coração partido, ela precisa tomar a decisão de reagir e se emancipar para a própria sobrevivência. E são muitos os seus inimigos, uma vez que, junto ao Sr C. (o Coringa), ela agrediu e prejudicou muita gente. Porém, agora sozinha, ela precisa dar um jeito de lidar com todas as ameaças.

Harley Quinn - Aves de Rapina

A função de um arlequim é servir. Ele não é nada sem um amo. E ninguém liga a mínima pra quem nós somos além disso.”

No topo da lista dos seus inimigos está Roman Sionis, o Máscara Negra, que deseja matá-la simplesmente porque agora ele pode. No entanto, em meio a toda essa confusão a história da palhaça do crime se encontra com a de outras mulheres fortes de Gotham que também precisam do seu momento de emancipação. São elas a Canário Negro, a Caçadora, a detetive Rene Montoya e a jovem Cassandra Cain.

Apostar na história da Arlequina foi um acerto gigantesco da DC Comics. A personagem, que talvez tenha sido o único acerto do desastroso “Esquadrão Suicida” (infelizmente), tem um carisma e diversão inigualáveis. E não pense que o filme infeliz foi jogado de lado e esquecido. São feitas várias referências aos personagens e ao relacionamento abusivo e controlador que a protagonista vivia lá.

E isso é bem importante. Arlequina fala sobre o prejuízo do relacionamento que vivia, porém como ele era usado para sua proteção. Uma vez que, ao estar ao lado do Coringa, ela não precisava se preocupar com sua própria vida. Ninguém ousaria encostar na primeira-dama do crime de Gotham. Ainda assim, ela conclui que precisa dar um jeito em sua própria vida e se tornar protagonista de suas ações.

E é a própria personagem quem narra o filme, uma jogada sensacional para conquistar o público. Seguimos a sequência louca de sua cabeça, com a narração em uma ordem que vai e volta de acordo com suas lembranças e correções. Em diversos momentos ela quebra a quarta parede e se comunica diretamente com o público, uma estratégia que me lembrou bastante a Arlequina original de “Batman: A Série Animada” e das próprias HQ’s. Também é um recurso que já conhecemos nos filmes de heróis (ou anti-heróis), muito presente em Deadpool.

Por falar em Deadpool, os dois filmes apresentam algumas semelhanças em sua essência, apesar de enredos completamente diferentes. Ambos tem como foco protagonistas nada éticos, e que agem por impulso, sem pensar nas consequências. Em “Aves de Rapina”, temos muita luta, muita loucura e muita violência. Sangue, socos, explosões, drogas, pernas quebradas… Mas tudo com um toque violentamente feminino.

Durante todo o filme somos lembrados que o importante é ressaltar a força feminina e a ausência da necessidade de um suporte masculino. Todas as personagens estão presas em uma sombra e na ideia de que precisam de um líder, sendo a Arlequina a primeira a quebrar o padrão. Dinah Lance, a Canário Negro, ironicamente é uma mulher super forte e sem voz, à serviço de Roman Sionis; a Caçadora perdeu toda sua família ainda criança e é movida por vingança aos assassinos, sem nenhuma habilidade social; Rene Montoya é oprimida em seu departamento na polícia e diretamente por seu chefe e ex-parceiro; Cassandra Cain lida com um pai adotivo agressivo.

Todas as lutas foram feitas de forma estratégica e inteligente para ressaltar a força das mulheres. Sendo assim, são golpes onde elas usam o peso do corpo do adversário, chutes altos, acrobacias, bastões de golfe, soco inglês, bombas, e com direito, inclusive, a uma troca de roupas e ao empréstimo de um elástico para prender os cabelos que estavam atrapalhando no confronto. Tudo isso com bastante estilo e sem sexualização em figurinos e falas. Nenhuma das personagens usa roupas apelativas, inclusive a própria Arlequina (um ganho em relação a “Esquadrão Suicida”). No entanto, também não precisam ser masculinas para isso. Um equilíbrio de cores, laços, brilho, elegância e violência.

O vilão Máscara Negra é nada mais, nada menos que Evan McGregor, um monstro da atuação. Porém, o destaque não está nele. As Aves de Rapina, com a liderança insana de Harley Quinn roubam a cena. Inclusive, é fantástico como Margot Robbie se adaptou ao papel. As risadas, trejeitos, caretas… Uma atuação bem fiel e segura a tudo que esperamos da personagem. E as outras garotas também não deixam a desejar!

Sobre as origens e relações com as histórias das HQ’s, a história da Harley Quinn já havia sido mostrada em “Esquadrão Suicida” e é bem fiel à de sua origem na série animada do Batman e HQ’s. Helena Bertinelli, a Caçadora, também tem uma origem bem fiel ao que as páginas mostram. Já Dinah e Rene, não é mostrado o suficiente para que possamos comparar, apesar de ser citada a mãe da Canário e o serviço da detetive no DCPG.

A única enorme diferença é Cassandra Cain, que é colocada como uma simples delinquente juvenil. A jovem está bem distante, por enquanto, da futura batgirl (“uma das”), porém isso não deve ser levantado como um ponto negativo do filme. Essa sua nova relação criada com a Arlequina ficou muito boa e, pra mim, um ponto alto do longa.

Eu sou suspeita para falar de DC Comics, e inclusive acusada de ser parcial por alguns amigos, porque sou super fã. Gosto muito desse estilo sombrio, violento e heroico que o estúdio promove, ainda que em suas histórias mais leves. Uma escuridão palpável. No entanto, eu sou super sincera e a primeira a criticar suas falhas. Acho as animações da DC imbatíveis, ao mesmo tempo que os live action deixavam muito a desejar, principalmente em iluminação e roteiro.

Harley Quinn - Aves de Rapina

Ainda assim, é uma injustiça ignorar que a DC Comics tem encontrado seu caminho nas telonas, fazendo filmes cada vez mais divertidos, mas sem perder sua essência. Um equilíbrio necessário e que começou a surgir em“Batman – O Cavaleiro das Trevas”, “Mulher Maravilha”, “Liga da Justiça”, “Aquaman”, o singular “Coringa” (ele precisa ser citado aqui sim, porque tem uma pegada diferente e sensacional, apesar de não ser “de ação”) e agora em “Aves de Rapina”.

ATENÇÃO: No melhor e mais perfeito estilo da Arlequina, “Aves de Rapina” possui cenas pós-créditos, ou seja…

_______________________________________________________________________________________________________________

 

Data de lançamento: 6 de fevereiro de 2020
Duração: 1h 49min /
Gêneros: Ação, Aventura
Direção: Cathy Yan
Elenco: Margot Robbie, Mary Elizabeth Winstead, Jurnee Smollett-Bell
Nacionalidade Americana
Direção: Cathy Yan
Música composta por: Daniel Pemberton
Figurino: Erin Benach
Produção: Margot Robbie
Distribuidor WARNER BROS.

 

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário

31 Comentários

  • Valéria
    fevereiro 17, 2020

    Oi, Karina. Eu tô bem curiosa pra assistir esse filme e conferir as mudancad na personagem a fim de se livrar da figura ‘protetora’ do coringa… A primeira coisa que reparei foi a roupa dela, amei esse ponto, alem de vários outros colocados por você. Espero poder assistir em brevem

    Küss

  • Alice Teixeira
    fevereiro 17, 2020

    Eita que o filme é fantasboloso, e eu posso provar já que a minha atriz favorita dos últimos tempos (depois de Zoe Saldana) está no longa. Esse filme realmente é bem intenso e divertido, e ver algumas cenas pelo ponto de vista da Arlequina é um máximo (as balas coloridas são as melhores partes). Amei o post, e os trechos do filme que você citou no post.

    Kissess, Me Enjoy Books

    • Karina Rodrigues
      Karina Rodrigues
      fevereiro 17, 2020

      Bem fantabuloso mesmo, neh Alice!!! Eu adorei. Sendo a Harley uma das minhas personagens favoritas da DC, fico feliz pela forma que o filme foi feito. Adorei os tiros de glitter tbm! Hahahahaha

  • Erika Monteiro
    fevereiro 17, 2020

    Oi, tudo bem? Vi algumas pessoas comentando sobre o filme mas ainda nem assisti o trailer. Sendo sincera não conheço muito esse universo de super heróis, etc. Sempre acompanho bate-papo sobre DC x Marvel mas nunca sei o que as pessoas defendem haha Os únicos “heróis” que sei um pouquinho da história são Super man e Spider man. Mas fiquei curiosa para saber mais sobre o filme. Um abraço, Érika =^.^=

    • Karina Rodrigues
      Karina Rodrigues
      fevereiro 17, 2020

      Oiee Érika! Olha… e é uma briga feia entre os dois estúdios, mas um tanto quanto desnecessárias. Os dois apresentam abordagens diferentes de heróis, então é normal se identificar mais com uns do que com outros. Mas o bom pra quem gosta do gênero, é que a quantidade de filmes cada dia cresce mais. O bom no seu caso é que vc ta equilibrada, gosta de um de cada estúdio! Hahaha

  • Ana Elisa Monteiro
    Ana Elisa Monteiro
    fevereiro 16, 2020

    Ei Karina, realmente esse é um filme bem divertido para assistir. Eu também gosto muito da DC (um pouco mais do que da Marvel, me julguem). Mas eu preciso dizer que todas as vezes que a Arlequina voltava fazendo a retrospectiva, me deixava meio perdida e tirava meu foco. E a cena pós crédito, vou deixar para cada um dar a sua opinião hahahahah. Parabéns pela crítica!

    • Karina Rodrigues
      Karina Rodrigues
      fevereiro 17, 2020

      Oi Aninha! Nunca julgaria uma pessoa que gosta mais da DC, por motivos de… eu mesma! Como a Harley sempre foi uma das minhas preferidas, eu adoro essa loucura dela e consegui acompanhar bem. Agora a cena pós-creditos nao poderia ser diferente!!!!

  • RENATA CRISTINA SILVA AVILA
    fevereiro 16, 2020

    Bom eu comecei a assistir o filme mas tive que ir embora porque me ligaram na hora, ou seja, muito azar hahahah
    Amei voce ter tocado no assunto da DC. as pessoas nao reparam mas ela ta conseguindo se encontrar no sol, aos poucos mas esta

    • Karina Rodrigues
      Karina Rodrigues
      fevereiro 17, 2020

      Nossa, mas que azar mesmo! Eu acho ótimo que a DC esteja encontrando esse caminho que agrada a maioria. Pra mim já era boa, agora está ficando ótima a cada lançamento.

  • Nayara Borges
    fevereiro 16, 2020

    Ao contrário de você, eu nunca fui fã dos filmes da DC, mas me surpreendi com os últimos lançamentos. É nítida a evolução. Aves de Rapina é um filme que estou louca para conhecer. Acredito que a força da mulher é bastante explorada nesse filme, o que me agrada muito. Quero assistir logo!!

    • Karina Rodrigues
      Karina Rodrigues
      fevereiro 17, 2020

      Siiim, uma evolução e tanto!!! Assista sim, além do tom cômico e de ação pura, a força feminina está no ar em todos os minutos!

  • Vic
    fevereiro 16, 2020

    Ka, eu tô alucinada pra ver esse filme! E tudo por sua causa! Por ser da DC, que eu sempre acho que entrega filmes bem meia boca (salvo alguns), e por conta do fracasso total que foi Suicide Squad, EU tava realmente desanimada. Mas agora que li sua resenha, eu já tô até procurando um dia pra ir. Obrigada por uma resenha tão boa e sincera!

    • Karina Rodrigues
      Karina Rodrigues
      fevereiro 17, 2020

      Vai assistir logo, Vic!!!! Esquece esse histórico da DC e dá uma chance pro filme! Eu acredito que nao vai se arrepender, pq eh realmente fantabuloso!!!

  • Vitor Damasceno
    fevereiro 16, 2020

    Aos poucos, embora lentamente, a DC vai encontrando seu lugar ao sol. Os filmes tem ganhando uma consistência e tal.. E tem outra coisa, dois filmes de Coringa com Oscar de melhor ator ao interprete do personagem…. enquanto que a maior bilheteria do momento não conseguiu nenhum ..rsrs. Polêmica. Paz, paz, gente.

    • Karina Rodrigues
      Karina Rodrigues
      fevereiro 17, 2020

      Eu até entendo a DC, sabe… ela tem muita consistência sombria pra transformar em um filme comercial “para toda a família”. Mas fico feliz que esteja conseguindo conquistar o gosto da galera. Isso reflete em Coringa! A carga dramática daquele filme, a agressividade e a crítica social presentes… eu acho q a DC tem muito mais a cara de filmes com esse tipo de carga dramática do que do estilo colorido e patriota da galera campeã de bilheteria, sabe… Mas bom que o estúdio está sabendo apostar nos personagens certos!

  • Debora Sapphire
    fevereiro 16, 2020

    Olá. Eu já tinha visto uma crítica sobre esse filme da DC comics. Confesso que foi um filme que ainda não despertou o meu interesse pra assistir, sabe? Mas é ótimo poder conferir o filme pelo ponto de vista de alguém que já assistiu. Essa personagem Alerquina, nunca consegui ir com a cara dela nos desenhos de Liga da Justiça, apesar de muitos fãs gostarem da personagem sendo vivida pela atriz Margot Robbie. Gostei das suas considerações sobre o filme. Apreciei muito a sua sinceridade também. 🙂

    • Karina Rodrigues
      Karina Rodrigues
      fevereiro 17, 2020

      Essa falta de identificação acontece, mesmo. Mas como defesa da personagem, ela está com muito mais consistência de história do que apenas loucura nesse filme. Vale a pena!

  • Lilian de Souza Farias
    fevereiro 16, 2020

    É um filme sobre feminismo, emancipação e empoderamento e isso me alegra, não vou mentir dizendo que irei ao cinema assistir, porque não faço isso, espero passar na TV ou Netflix, mas estou bastante curiosa para apreciar, visto que a temática muito me agrada. Eu vi muita coisa sobre Aves de Rapina, as para ser honesta é a primeira resenha que leio e de fato, me deixou animada para assistir, como você, aprecio quando o sombrio é trabalhado em filmes, séries e livros. Afinal, vivemos numa sociedade doente por não explorar seu lado sombrio

    • Karina Rodrigues
      Karina Rodrigues
      fevereiro 17, 2020

      Lilian, vc fez um ótimo resumo da definição do filme. E como negar a força e importancia do tema?! Adorei a sua afirmação a respeito do ignorar o lado sombrio e concordo totalmente!

  • Carol Nery
    Carol Nery
    fevereiro 16, 2020

    Amiga, eu dei muuuita risada!! Foi muito divertido ter ido com alguns amigos. E eu vou com poucas pretensões, só quero me divertir! Daí adorei a história e a forma como foi contada. Eu adorei ter sido a Arlequina a narrar os acontecidos. Amei os “vai e vem” conforme ela ia lembrando dos acontecimentos, e gostei demais das cenas onde baixava a psiquiatra nele – e rapidinho ela desenhava um diagnóstico! hhahahhaa
    Meu pai gosta demais da Margot nesse papel. Ele vê inúmeras vezes aquele filme mais ruinzinho só por causa dela. Já recomendei ele pra assistir esse urgentemente…
    Beijocas

    • Karina Rodrigues
      Karina Rodrigues
      fevereiro 17, 2020

      Essa personagem é fantástica, sou super fã e vc sabe. Hahahaha Mas ela é bem da sua área tbm, imagino que seja legal mesmo os lapsos de consciência profissional que ela tem. O filme é realmente louco como ela!
      Já faça seu pai assistir, pq esse vale a pena!!!

  • Paac Rodrigues
    fevereiro 15, 2020

    pra mim a dc acertou quando criou aves de rapina e vai se firmar na indústria graças a elas porque a personagem da arlequina é excelente mas sempre ficou as sombras do coringa que sinceramente é controverso e dificil, então apostar nelas foi a melhor escolha da dc.

    • Karina Rodrigues
      Karina Rodrigues
      fevereiro 17, 2020

      Siiim, um grande acerto, principalmente nesse momento de fortalecimento feminino que estamos vivendo!

  • Hanna Carolina Lins de Paiva
    fevereiro 15, 2020

    Estou doida para ver esse filme tem é tempo! Mas infelizmente ainda não pude conferir. Fiquei super feliz ao ver que dessa vez temos uma Arlequina ainda maluquinha, mas sem nada apelativo. Ela mostra sua força de uma forma que deveria ser, com pessoa, não como objeto de desejo. Agora que farei mesmo todo o possível para conferir antes que saia de cartaz.
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    • Karina Rodrigues
      Karina Rodrigues
      fevereiro 17, 2020

      Siiiim, o enredo do filme e a abordagem das personagens femininas ficou sensacional! Assista siiim, e espero que goste tanto quanto eu!

  • Yasmine Evaristo
    fevereiro 14, 2020

    Esse filme é cheio de pontos positivos e eu concordo com todos os que você aponta em seu texto. Só de não ter que ver heroínas em micro shorts e tangas que sevem ser, no mínimo, desconfortáveis para lutar já percebo uma grande vitória.

    • Karina Rodrigues
      Karina Rodrigues
      fevereiro 17, 2020

      Né?! Uma grande vitoria frente a todas as personagens sexualizadas que já passaram pela telona!!!!

  • Raquel
    fevereiro 07, 2020

    Amiga, arrasou!! Concordo com tudo que você escreveu! Eu amei o filme!! Ficou maravilhoso!!

    • Karina Rodrigues
      Karina Rodrigues
      fevereiro 08, 2020

      Obrigadaaa!!! Meninaaa, eu ameeeeei real e tava com tanto receio antes. Que bom que deu tudo certo.
      Os fãs agradecem!!!!

  • Elis
    fevereiro 06, 2020

    Tenho gostado muito de filmes que mostram o lado humano do personagem, e como isso afeta sua vilania ou heroísmo! Adorei sua crítica!!

    • Karina Rodrigues
      Karina Rodrigues
      fevereiro 08, 2020

      Obrigada, Elis!
      A Harley é bem amalucada mesmo, mas esse filme dá pra ver um pouco do seu lado humano e do seu trabalho em grupo. Realmente é bem legal ver esse lado vulnerável.

      Bjos