CINEMA

CRÍTICA | ANNA – O PERIGO TEM NOME E EU DIRIA SENSUALIDADE

22 agosto, 2019 por

Anna o Perigo tem Nome

Uma mulher loira bonita, que no decorrer do filme muda de cabelo varias vezes, e tem um disfarce, como Modelo é a narrativa de “Anna o Perigo tem Nome”, que se passa em Paris, 1990.  Um filme com bastante adrenalina, personagem forte e bem dirigido!

A vida glamourosa e imediatamente esquecida em meios as diversas reviravoltas. Qual será o próximo alvo dela? Do criador de Lucy e O Quinto Elemento, Anna Poliatova (Sasha Luss) é um jogo de xadrez em que a princesa se torna uma das assassinas mais perigosas e bem treinadas do governo russo.

Bebendo da fonte dos filmes de ação mais recentes, você pode esperar por uma ótima história de espionagem com ótimas sequências de tirar o fôlego. A modelo recrutada pela KGB. Se desdobrou nas cenas de luta e perseguição, e ainda levou toda sua sensualidade as cenas com um toque sutil de sacarmos.

Anna o Perigo tem Nome

O enredo que é muito bom eu diria que a  melhor definição é incrível, mostra que o perigo não manda avisos.  Altamente inteligente, fatal e precisa, Anna vai fazer de tudo para conseguir sua liberdade – e vai passar por cima de todo mundo para isso, pois  como ela mesmo relembra: “Não confie em homens Anna, confie em você”.

Podemos dizer que Anna – O Perigo Tem Nome é uma mistura de Nikita, Atômica e uma pitada de John Wick. Mais do que um bom filme de ação, o longa prende a sua atenção com as inúmeras cenas de idas e vindas e, plot twists que faz o jogo mudar repentinamente por várias vezes. E este é o melhor sentimento do filme a incerteza do final.

Adorei o Anna – o Perigo tem Nome em especial as cenas de ação que foram um capítulo a parte,  você pode esperar dar umas risadas também, pois o filme é surpreendente. A assassina mais mortal de todos os tempos tem Alex Tchenkov como seu um mentor… Mas quais segredos ele esconde?

O roteiro de Besson não se incomoda em inventar razões para os assassinatos. Ao longo do caminho, Anna conhece um espião americano que a força a se tornar uma agente dupla. Cillian Murphy vive um ardiloso Agente da CIA, e assim como a personagens de Mirren ( sua chefe de  campo Olga) – os dois são muito animados e inteligentes e ao que parece um ângulo, diferente é aplicando aos seus personagens.

Esse é um filme que pode ser que canse sua cabeça, mas é um filme que consegue ativar suas sinapses e criar uma grande questão no final, será que tudo que a Anna fez valeu a pena? A única coisa que posso dizer é: de onde não se esperava nada, acontece tudo!!

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário