A PACIENTE SILENCIOSA - ALEX MICHAELIDES

A Paciente Silenciosa é um thriller da melhor espécie pra mim: psicológico! Mais que um thriller, ele é um estudo psicológico dos personagens centrais. Contudo, ele é muito psicológico MESMO. Por isso você precisa estar confortável com termos e tramas psicológicas. Sendo assim, nossa história é sobre Alicia Berenson, uma artista reconhecidíssima, casada com um fotógrafo de moda. Porém, agora ela está presa dentro de si mesma. Sua mente e seus segredos são um mistério tão somente.

Mas, em contraponto, temos Theo Faber. Ele é um psicoterapeuta criminal (ou forense). Imediatamente conhecendo a história de Alicia, ele logo está decidido que pode ajudar a mulher a falar novamente. Por conseguinte, dessa forma, A Paciente Silenciosa é um livro sobre uma exploração (no sentido de análise e perscrutação) à psique dessa tal mulher.

Alicia foi acusada de ter assassinado seu marido com 5 tiros, no rosto. Ela foi encontrada na mesma sala que o corpo de Gabriel, com os pulsos cortados. E aparentemente já enclausurada em si mesma. Michaelides, em seu romance de estreia, consegue trazer uma construção psicológica magnífica. Ele consegue amarrar os temas com teorias e com seus respectivos teóricos. Eu fiquei apaixonada desde a primeira página lida.

“E por que razão Alceste, rediviva, permanece muda e imóvel?” (Alceste, de Eurípedes)

Acima de tudo, diferentemente dos thrillers que estamos acostumados, em A Paciente Silenciosa, o autor não nos leva tão somente à investigação de um crime. Isso acaba sendo praticamente o segundo plano da história. Definitivamente o que o autor nos brinda, é uma investigação profunda da condição psicológica de Alicia e Theo.

A Paciente Silenciosa não é uma leitura cheia de plots emocionantes. Assim como alguns leitores podem sentir certa lentidão na trama, não se desesperem. As coisas começarão a acontecer paulatinamente. Visto que, como sou A LOKA da Saúde Mental, eu me senti totalmente imersa. Senti-me em uma aula… E fiquei só bebendo da fonte. Esse tipo de trama tão bem fundamentada já faz com que o autor ganhe créditos comigo. Com certeza ficarei de olhos em seus próximos romances.

Nesse ínterim encontramos Alicia na instituição Grove, uma unidade forense segura no norte de Londres. Inclusive, andando meio “ruim das pernas” essa instituição está beirando ser fechada. Ao mesmo tempo que, então, A Paciente Silenciosa, a famosa pintora, quem sabe poderá render alguma notoriedade ao Grove. E salvá-lo então da bancarrota. Theo, através da psicoterapia, começa a conseguir tocá-la de forma que nenhum outro profissional fez.

“Sempre achei que o medo era uma sensação fria, mas não é; ele queima que nem o fogo.”

A PACIENTE SILENCIOSA - ALEX MICHAELIDES

Theo, no meu modo psicológico de enxergar, se demonstrou interessado demais da conta no caso de Alicia. A Paciente Silenciosa se tornou uma espécie de obsessão para o psicoterapeuta. Sua nada mole vida continua aos trancos e barrancos no momento que se encontra em casa. Ele também é casado. Ele também tem bagagens familiares mal resolvidas. Theo também tem um bom tanto de sua psique sondada…

Fiquei pensando até que ponto a contratransferência de Theo seria saudável. Depois comecei a desconsiderar, pois algum avanço foi alcançado… E com as ‘pinceladas’ sobre a história de vida de Alicia que acompanhamos através de seu diário, bom, eu realmente me deixei levar pela terapia ousada que Theo impõe ao Grove.

Logicamente Theo cria uma espécie de antipatia a outros funcionários, como a administradora do Grove e o psiquiatra. Percebemos que psicoterapeuta e psiquiatra se conhecem de outros carnavais. E eles aparentam ter certa resistência um com o outro. Mas, isso é quase normal… Theo questiona a quantidade de antipsicótico que Alicia estava sendo submetida. Theo também questiona o tipo de terapias às quais ela era ou não submetida. O foco de Theo é todo e completamente em Alicia e em fazer com que ela fale novamente.

“Escolher um parceiro num relacionamento amoroso é muito parecido com escolher um terapeuta. Temos que nos perguntar se a pessoa vai ser honesta com a gente, capaz de ouvir críticas, reconhecer erros e não prometer o impossível.”

Por ora, o leitor pode ir se deliciando a cada camada da psique de Alicia a que somos apresentados. O viés da vida de Theo fora do horário de trabalho é tão profundo quanto revelador. Eu me apeguei muito à análise de ambos. Fiquei fascinada com o estilo de narração, onde Michaelides nos traz a narração pela voz do psicoterapeuta, pelos diários de Alicia… E pelas escapulidas de Theo em suas pesquisas de campo não recomendadas ou mesmo autorizadas.

Certamente você pode se ver impressionado com a forma que o autor faz com que conheçamos a história pelo ponto de voz de Alicia, pela voz de Alicia, mesmo ela se negando a falar uma palavra sequer. Ao passo que a partir dessas informações, seja de seus diários, ou de pessoas que a conheceram em sua vida passada, posteriormente você irá construir suas impressões sobre ela.

Será que Alicia realmente matou a sangue frio o amor de sua vida? Por que ela destruiria uma vida perfeita? Quais são os segredos do passado que marcaram sua alma, sua psique? E por que Alicia se calaria por anos se ela fosse realmente inocente? Por fim, a mente do leitor fica num looping eterno. Eternamente sedento por respostas.

“A fúria assassina, a fúria homicida, não nasce no presente. Ela tem origem no território anterior a memória, no mundo da primeira infância, com abusos e maus-tratos, que vão se acumulando ao longo dos anos até explodir — não raro contra o alvo errado.”

O que poderia parecer uma história simples faz de A Paciente Silenciosa o livro com o melhor plot twist dos últimos tempos. Quando tive o insight final fiquei aqui, boquiaberta, e quase que me levantei e aplaudi o autor. Obra prima! E finalmente, revelo que levou minhas 5 sagradinhas estrelas no Skoob e GoodReads. Sensacional! Recomendo a todos que como eu, pagam para fazerem papel de trouxa.

Essa edição da Editora Record saiu com a mesma arte de capa da edição gringa. Coisa que não prejudicou em nada a obra, porque é fascinante a escolha da imagem. Embora a boca da modelo da capa seja a única parte do rosto que não está enredada a algum material, ficou muito explícito o sentimento de contenção, de alguém que não pode ou não quer se comunicar.

Enfim, foram 350 páginas que não vi nem o tempo passar. Aquele tipo de leitura que me prendeu do início ao fim. Pra mim não houve decaídas, e sim um autor que sustentou meu interesse por toda a trama. Em suma, finalizo afirmando que A Paciente Silenciosa é uma grande revelação do estilo e que sua adaptação já foi confirmada pela Annapurna Picture e Plan B. Aguardo ansiosamente esse excelente material que se Deus quiser, irá parar nas telonas.

“A verdade é que todo mundo tem medo. Um verdadeiro pavor uns dos outros. Eu tenho pavor de mim mesma, e da minha mãe em mim.”

________________________________________________________________________________________________________________


Titulo: A Paciente Silenciosa
Autor: Alex Michaelides
Ano: 2019
Páginas: 350
Editora: Record
Gêneros: Thriller Psicológico, Suspense e Mistério
Adicione a sua lista do Skoob
Onde Comprar: Amazon