Destaques

novidades por e-mail

21 fevereiro 2019

ALERTA OSCAR | SE A RUA BEALE FALASSE

ALERTA OSCAR | SE A RUA BEALE FALASSE
Distribuidor: SONY PICTURES | Direção: Barry Jenkins | Elenco: KiKi Layne, Stephan James, Regina King | Gênero: Drama, Filme policial  | Duração: 1h 59min 

“Levante a cabeça, irmã”
Se a rua Beale Falasse

Baseado no romance de James Baldwin, “Se a Rua Beale Falasse” é um filme que carrega no brilho o olhar de Barry Jenkins. O diretor de Moonlight, traz para a trama um visual arrebatador e uma grande  história de intensidade emocional, onde se percebe a todo momento as profundezas dos seus personagens em um olhar silencioso e intimista em  uma brilhante história de cunho social.

A centralidade dada ao drama do casal Tish (KiKi Lane) que sofre pela espera do primeiro filho enquanto o marido e Fonny (Stephan James, de Selma) esta preso, impõe-se e de certa forma faz desabar o delicado equilíbrio entre os assuntos que perpassam a "Rua Beale".  Os entraves familiares dos protagonistas e os subsequentes passos do processo, também são embalados pelo sentimento racista entranhado nos Estados Unidos da década de 1960.

🌟 CONCORRE EM 3 CATEGORIAS 🌟 

1. Melhor atriz coadjuvante (Regina King)
2. Melhor roteiro adaptado
3.Melhor trilha sonora original


O resultado é um filme extremamente reiterativo com um bom roteiro, questões relevantes mas que nem sempre se apresentam com  soluções concretas.  A trilha sonora com toque de jazz acalenta o romance arrebatador, que é interrompido, por questões raciais, numa época, onde a cor da pele era (e ainda é, infelizmente) um fato para culpar pessoas por erros que não lhes pertenciam.

A obra que teve três indicações ao Oscar e recebeu o prêmio à Regina King também é dona da modesta bilheteria de US$ 13 milhões e  recorre a efeitos de acabamento visual que reforçam a tendência maneirista de Barry Jenkins. Mas quem rouba boa parte do filme é a atriz Regina King (série Watchmen), premiada com o Globo de Ouro de melhor atriz coadjuvante e ainda considerada a melhor presença de apoio em mais de 15 importantes círculos de críticos norte-americanos.


No papel de Sharon, mãe de Tish, ela é um porto seguro de confiança no amor e intermedeia as pazes entre a filha e um mundo que nem sempre é amante da justiça. Outro ponto importante é que o cineasta não está interessado em provar a inocência de seu protagonista e consequentemente descobrir como tudo aconteceu. Embora, uma certa cena fará com que a ficha dos espectadores mais atentos caia, deixando tudo absolutamente claro.


Com uma narrativa não linear, em que as imagens do presente e do passado se alternam como uma bruma difusa.A filmagem possui muitos closes, como se o mundo desacelera, quando se olham um para o outro.  Uma bela fotografia desde o silêncio do olhar até ao toque generoso das mãos dadas.

Comentários via Facebook

10 comentários:

  1. 2019 será o ano em que a festa do Oscar mais terá filmes maravilhosos!!! Há tempos não via tanta coisa boa reunida e acredito que no domingo, se terá uma dificuldade grande em distribuir as estatuetas!
    Assisti este filme nesta semana e é maravilhoso! Um filme lindo, com essa trilha sonora em jazz dando um toque mais nostalgia a todo o filme.
    Atuações impecáveis, cenários e essa dorzinha que o longa traz, seja pelas famílias em muitos momentos,mas pela pele, ainda sendo motivo de humilhações e separação!
    Super recomendado!!!
    Beijo

    https://twitter.com/AngelaGabriel1/status/1098893848070287362

    ResponderExcluir
  2. Moonlight foi uma potência e bem envolvente, diferente de Se A Rua Beale Falasse mas, não podemos ignorar que tem muito a nos dizer principalmente quando se diz respeito a luta das minorias nos EUA e a violência policial. Focado no drama pessoal, preconceito racial e na injustiça social, a dura realidade vem acompanhada de um lado poético e lúdico. Regina King de fato roubou as cenas, mais do merecido o Oscar de "Melhor Atriz Coadjuvante" entretanto, achei um tanto cansativo as inúmeras voltas dadas para se chegar a um simples ponto, a impressão é que o filme se tornou mais longo do que já era. De qualquer forma, o nó fica na garganta ao ver que um caminho que terminaria em felicidade foi interrompido devido a sociedade racista e a violência policial.

    https://twitter.com/CaarolForbes/status/1100866586230034434

    ResponderExcluir
  3. Confesso que não sabia nada sobre o filme antes de a Regina King ganhar o Oscar. A história parece muito interessante, tocando em discussões importantes. Vou ver se consigo assistir em breve.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  4. Oi! Tudo bem?

    Todo ano eu faço a meta de acompanhar o Oscar e eu nunca consigo. Ainda não tinha ouvido falar deste, mas arrepiei inteira vendo o trailer - mas me passou a impressão de ser um filme com final triste, e se for esse o caso, vou relutar um pouco mais pra assistir. Ótima resenha!

    Literalize-se

    ResponderExcluir
  5. Oie!
    Nossa, eu ainda não assisti ao filme, mas se eu estava super curiosa para ver, você acaba de aumentar minhas expectativas em relação à trama, às atuações, enredo e tudo o mais.
    Parece ser um filme que transborda sentimentos! <3
    Ah, e sobre o Oscar, feliz que Regina King ganhou, merecidamente pelo destaque que conseguiu no longa! <3
    Ótima indicação!
    xoxo

    ResponderExcluir
  6. Fiquei super curiosa para ver esse filme justamente porque AMEI LOUCAMENTE Moonlight! A gente precisa assistir filmes que escancaram as críticas sociais de um modo geral, né? Pra mim tem sido muito importante apoiar e buscar temáticas LGBT, de luta racial e outras questões que eu não vivo, justamente para saber cada vez mais como posso participar sem ocupar um espaço que não é meu, e principalmente entender o lado do outro o melhor possível. Achei o discurso da Regina King LINDÍSSIMO, super emocionante! Já achei que mereceu o prêmio!

    ResponderExcluir
  7. OMG!!! Amei! É bem o tipo de filme que gosto. Com 1min de trailer já estava emocionada.
    COM CERTEZA vou assistir. Não é à toa que concorreu ao Oscar de melhor trilha. Só no trailer já dá pra ver que arrasa. O que é aquilo aquele trompete de fundo? Atuações certamente muito profundas. Já estou tocada. Valeu pela indicação.
    x
    www.paulamusique.com

    ResponderExcluir
  8. Ficou ótima a sua crítica! Eu confesso que fiquei bem por fora do Oscar esse ano, vi 16 filmes em janeiro, mas quase nenhum concorria haha. Gostei muito do trailer e da temática do filme, realmente parece ser muito envolvente. Valeu a indicação!

    ResponderExcluir
  9. Ahhh não conhecia! Fiquei muito interessada mesmo! Muito obrigada pela indicação, pois eu ando naquela fase que não sei muito o que assistir haha

    ResponderExcluir
  10. Recebi o livro da Companhia das Letras e agora depois da sua crítica eu fiquei ainda mais animada para lê-lo e assistir o filme também. Pela sinopse, parece ser uma leitura mais que necessária, levando em conta todos os temas que estão sendo abordados na nossa realidade <3

    ResponderExcluir

Instagram

© Coisas de Mineira - 💜 🐶 📖 🍀 💜 – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in