Destaques

novidades por e-mail

16 agosto 2018

CRÍTICA DE ESTREIA | MENTES SOMBRIAS (THE DARKEST MINDS)

Distribuidora: Fox Film do Brasil | Estreia: 16/08/2018 | Gênero: Ficção Científica, distopia| Duração: 1h44

Essa semana a estreia é de uma adaptação literária homônima escrita por Alexandra Bracken e que recentemente foi relançada pela editora Intrínseca: “Mentes Sombrias”.

Em um mundo distópico, a maioria das crianças adoeceu e acabou morrendo, as que sobreviveram acabaram desenvolvendo habilidades especiais que fizeram os adultos e o governo as temerem. Por este motivo, foram enviadas à campos de custódias onde vivem cercados por militares fortemente armados e trabalham para o governo. Nestes campos, elas são divididas em grupos com cores de acordo com cada poder.

Dentre esses grupos de cores, duas estavam no alto da pirâmide sendo as mais temidas pelo governo e militares: vermelho e laranja. Ruby Daly (Amandla Stemberg) possui poderes equivalentes a cor laranja, mas consegue se misturar aos demais fingindo que pertence a outro grupo de cor, para que não seja morta.


Vamos lá então. Tenho que confessar que estava um pouco ansiosa por este filme, não porque já sabia dele há muito tempo, afinal só soube porque há algumas semanas atrás vi o banner dele no cinema e toda a arte me atraiu para o filme. Quando chegou a notícia de que veríamos, já fiquei logo contente. Na minha cabeça imagina que o filme teria uma história parecida com “X-Men”, cheio de ação e adolescentes bem fodas, com aquela pitadinha de romance só para colorir o filme. E com um marketing dizendo que o longa teria “os produtores de Stranger Things” já fez minha cabeça pensar que teriam algumas viagens bem bacanas na produção. A minha surpresa ao assistir teria sido menos se as expectativas que montei não fossem tão altas.

Prestem atenção na Zu (Miya Cech), ela acabou sendo meu personagem preferido em todo longa. Para mim, o trailer mostrou mais ação do que o filme realmente tem, e a história acabou ficando bem fraquinha. E para acabar de vez com toda expectativa que criei, a história ainda me coloca um romance meio forçado, meio melado e que eu não consegui engolir de jeito nenhum. Se resolver assistir é preciso tirar todas as expectativas (para não se decepcionar como aconteceu comigo) e pensar na seguinte questão: ele não possui emoção, nem de ação, nem de sentimento. As coisas que foram acontecendo ficaram previsíveis e cansativas.

Algumas pessoas podem adorar o longa, dizendo que ele é uma introdução do que está por vir (sim provavelmente haverão outros filmes, assim como possui mais de um livro), e eu não deixo de discordar disso, afinal a sociedade tinha que ser apresentada alguma hora. E minha crítica, é apenas do filme, ainda não li o livro e não posso opinar sobre ele (lembrando que sempre há uma grande diferença entre livros e suas adaptações). Mas eu, como uma jovem de 25 anos, que gosta de coisas meio bobas, mas que sejam bem construídas, e que já assistiu alguns filmes distópicos na vida, além de ter tido uma infância bem bacana com x-men, digimon, dragon ball, entre outros, não gostei do filme. Mas, pode ser que um adolescente de 12/13 anos, que venha assistir ao longa, chegue a amar ele.


Como disse no início, o filme conta com produtores da série de sucesso da Netflix “Stranger Things” Dan Cohen e  Shawn Levy, além de Dan Levine (“A Chegada”). A direção ficou por conta de Jennifer Yuh Nelson (“Kung Fu Panda”). Já o elenco contou com Mandy Moore (“Um Amor para Recordar”), Gwendoline Christie (“Game of Thrones”), Patrick Gibson (“The OA”), Lidya Jewett (“Extraordinário”), além de Amanda Stenberg (“Tudo e Todas as Coisas”). O longa foi gravado no estado da Geórgia, nos Estados Unidos, e a autora dos livros Alexandra Bracken, fez uma pequena aparição no final da produção, como uma enfermeira.

Comentários via Facebook

7 comentários:

  1. Oi Ana,
    Honestamente eu nunca tinha ouvido falar do livro Mentes Sombrias e só fiquei sabendo de sua existência por causa da adaptação. Temas pós-apocalípticos e distópicos é algo que adoro, mas em um contexto tão jovem tenho minhas ressalvas. Algumas coisas merecem destaque nessa adaptação e uma dela é o elenco. Com certeza Amandla Stenberg tem conseguido se destacar no cinema. Outro ponto que achei legal são os diferentes poderes que os jovens desenvolvem (confesso que isso é meio X-MAN, mas adoro). Agora partindo para os pontos que me deixaram confusa ou com um pé atrás e um deles o é relacionamento amoroso, e olha que amo um romance, mas não quando há tanto para ser explorado em um enredo. E também me parece que a história n é bem contada, deixando muita pergunta sem resposta. Uma pena que o filme tenha sido tão decepcionante, mas eu espero que os livros sejam bem melhores.

    https://twitter.com/GisahSLopes/status/1030247389817438209

    ResponderExcluir
  2. Soube da estreia deste filme através do Instagram da editora Intrínseca e me interessei de imediato por relembrar um pouco de X-Men mas, após essa crítica desanimei legal. Por ter os produtores de Stranger Things minhas expectativas estavam altas também, sem falar do elenco que merece devida atenção... Uma pena que não seja tudo o que poderíamos esperar, espero ter a oportunidade de ler o livro antes de assistir ao filme, que assistirei de qualquer jeito, isso não vou negar.

    https://twitter.com/CaarolForbes/status/1030271677106737153?ref_src=twcamp%5Ecopy%7Ctwsrc%5Eandroid%7Ctwgr%5Ecopy%7Ctwcon%5E7090%7Ctwterm%5E3

    ResponderExcluir
  3. Ana!
    Quando vamos com muitas expectativas, geralmente acontece essa frustação, acredito que seja normal.
    Não tive oportunidade de ler o livro e muito menos assistir o filme, mas já gostei do enredo pós apocalíptico com tantas transformações e mudanças.
    Gostei de ver que a protagonista é a mesma de Tudo e todas as coisas.
    “O amor é a força mais sutil do mundo.” (Mahatma Gandhi)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA AGOSTO - 5 GANHADORES - BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    https://www.facebook.com/rudynalva.soares/posts/2312418678784946

    ResponderExcluir
  4. Eu só fiquei sabendo da existência deste filme, nesta semana de estréia! E ainda não sei ao certo o que pensar. Se vou ver? Sim, tenho certeza! Pois amo cinema e me obrigo a ver tudo que vai saindo(se for do meu gosto)
    Mas vou confessar que fico com o pé atrás com essa mistura e até certo modo, comparação com dois grandes sucessos: Jogos Vorazes e X-Man. Será que realmente funcionou? Tenho lido críticas de ambas opiniões. Uns adoraram e outros? Se arrependeram demais de terem ido ver.
    Verei.
    Beijo

    https://twitter.com/AngelaGabriel1/status/1030405608896425984

    ResponderExcluir
  5. Embora o título abre um leque muito interessante, podendo abranger infinitos assuntos, lendo os comentários vi que me enganei redondamente. Não havia ouvido falar nada dele e sinceramente a menos que me surpreenda muito não é meu estilo favorito da vida. Adoro cinema e sempre que vou a contra gosto me surpreendo e adoro, quem sabe com esse não acontece igual?

    ResponderExcluir
  6. Eu nunca que tinha nem ouvido falar desses livros. O filme fiquei sabendo por causa do blog também. Mas, não foi nada desesperador pra mim, acho que porque as expectativas aqui eram ZERO! Nem sabia que existia... logo! hahahahaa Eu me diverti. Achei bobinho, achei sessão da tarde, mas passou o tempo de boa. Nada torturante.
    Beijo, Ana.

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Desconhecia a existência desses livros, nem sabia que o filme eram baseados neles. Tive contato com o trailer faz pouco tempo, confesso que não me chamou muito a atenção. Não curto muito distopias. Talvez assista um dia, mas no momento não está na minha lista.
    Achei um pouco parecido com X-Men...
    Beijos!

    Compartilhamento: https://twitter.com/SamyACS/status/1033899596584562688

    ResponderExcluir

Instagram

© Coisas de Mineira - 💜 🐶 📖 🍀 💜 – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in