Destaques

novidades por e-mail

05 julho 2018

CRÍTICA DE ESTREIA | TODO DIA

CRÍTICA DE ESTREIA | TODO DIA
Distribuidora: Paris Filmes | Estreia: 05/07/2018 | Orçamento: U$ 4,9 milhões | Gênero: Romance, Drama | Duração: 01:40h

"Nem todo corpo está alinhado 
com a mente que tem."

Aconteceu ontem a cabine de imprensa do filme "Todo Dia" do diretor Michael Sucsy (conhecido por "Para Sempre"), adaptação do livro homônimo do autor David Levithan publicado no Brasil pela editora Record (Confira a resenha do livro AQUI). Com uma proposta muito interessante e diferente, a história te apresenta de forma bem clara e linda a importância da valorização da essência de cada um.

Rhiannon (Angourie Rice) é uma garota de 16 anos sufocada por graves problemas familiares e presa em um relacionamento abusivo, seu namorado Justin não a enxerga. Mas ela precisa estar com ele, porque ele é seu tipo: alto, forte, ombros largos... Porém tudo muda em uma manhã quando o rapaz aparece super atencioso e passam um dia incrível, que ele parece nem se lembrar no dia seguinte, o que entristece ainda mais a garota.


"A" descobriu cedo que seus amanhãs sãos diferentes dos das outras pessoas. Não tem um corpo próprio e, desde que se lembra, passa cada dia no corpo de uma pessoa diferente: sempre da mesma idade, nunca repetindo a mesma pessoa, na mesma região do dia anterior e de maneira aleatória. Tomou como propósito de vida viver da melhor forma aquelas 24h para seu "hospedeiro", porém sem grandes interferências, até que viveu o dia no corpo de Justin e conheceu Rhiannon... E se apaixonou.

TODO DIA | CRÍTICA DE ESTREIA

Antes de qualquer coisa quero dar crédito ao trabalho de todos os atores, principalmente os que interpretam "A". Tão novos e tão bons. Em todos eles foi possível perceber a verdade de seu personagem, mesmo naqueles em que houve uma aparição rápida. Nenhum nome de grande destaque está envolvido, o que é ainda mais interessante. E o mesmo se estende para o restante do elenco. Angourie Rice faz uma Rhiannon doce e insegura, cheia de conflitos, que alcança quem está assistindo, e é sua atuação que compensa a abordagem rápida e bem superficial dos seus problemas familiares.

Essa história é MUITO linda e de uma importância extrema. Acima de qualquer coisa, é preciso que vocês percebam a dimensão da representatividade do filme, pois Rhiannon se apaixonou por "A" sem saber (ou se importar) se este(a) era homem ou mulher, seja cis ou trans, negro(a), branco(a), asiático(a), gordo(a), magro(a)... E "A" aparece para ela de todas essas formas durante o filme, mas não importa, ela enxerga além, ela enxerga sua essência. Ao se conectar com o interior do outro, a garota tem a chance de conectar com o seu próprio e descobrir suas próprias verdades, e assim tentar vencer os obstáculos de sua vida que vinha ignorando.


Por outro lado, "A" também amadurece ao perceber que a sua decisão de "viver com poucas interferências" na vida do outro pode não ser a melhor escolha e nos mostra que devemos sempre nos esforçar pra deixar a nossa marca, fazer o nosso melhor. O filme possui uma infinidade de mensagens, então, por favor, não seja o chato que vai dizer que não existe essa de acordar todo dia em um corpo diferente, ok?! Em tempos de super-heróis, vampiros, lobisomens e afins, se permita não preocupar com as origens e probabilidades de "A". Aconselho a experiência a todos, que vocês assistam de cabeça e coração abertos, pois acredito mesmo que esta história tenha muito para ensinar a todos nós .

"CRIE MARCAS! DEIXE RASTROS!"

Comentários via Facebook

12 comentários:

  1. Oi Karina,
    É claro que estou louca para ver esse filme, amo o jeito que o David Levithan escreve e quero ver como vai ser minha reação nessa adaptação.

    https://www.facebook.com/stephanny.manini/posts/1333996186732276

    ResponderExcluir
  2. Olá, eu simplesmente AMEI o livro, o qual surpreende na maneira de mostrar que amor é amor independente de todos os estereótipos e preconceitos que a sociedade insiste em cultivar. Pelo trailer, vejo que há bastante fidelidade com o material original, e já percebi que vou chorar MUITO. Beijos.

    https://twitter.com/ultronlizando/status/1015000667835027456

    ResponderExcluir
  3. Eu adorei tanto Todo Dia, quanto Outro dia. Estou louca pra ver a adaptação... <3

    ResponderExcluir
  4. Oi Karina,
    Desde que vi o trailer pela primeira vez me encantei, achei a história linda e estou muito curiosa para assistir, e torcendo para que os dois encontrem um jeito de ficarem juntos ...
    Assim como você disse, eu acredito que a mensagem que o filme passa vai muito além de um romance, e é lindo.
    Adorei.
    Beijos

    (Compartilhamento: https://twitter.com/Pantielly/status/1015042160306085889)

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Oi Karina,
    A história de Todo Dia foi meu primeiro contado com David Levithan e a mais diferente que li até hoje. Conseguir abordar a essência de alguém de uma forma tão única é surpreendente e muito interessante, mas mais impressionante é conseguir retratar isso em imagens. Fiquei muito surpresa quando vi o trailer da adaptação, pois não sabia que iriam produzir o filme. Este por sua vez, me parece que atingiu e até superou as expectativas de alguns telespectadores. Em pouco mais de uma hora, com um elenco jovem bem diversificado e pouco conhecido a história de A de pôde ser contada de forma simples, mas bem direta. Se eu já estava ansiosa para assistir ao longa, depois dessa crítica isso só aumentou.

    https://twitter.com/GisahSLopes/status/1015050531318980608

    ResponderExcluir
  7. Desde de que soube da adaptação me interessei e o interesse cresceu depois de ler a resenha que saiu por aqui. Nada foi rotulado, mostrar o que somos por dentro é o que realmente importa. Ver como "A" irá lidar com o fato de acordar todo dia em um novo corpo e estar apaixonado será algo novo, bonito e como Rhiannon nos mostrará que o essencial é invisível aos olhos (Real/Oficial), também. O fato de não ter nomes conhecidos faz com que não criemos expectativas e nos surpreendemos. Tenho que dizer, me lembra um pouco de A Hospedeira (Que por sinal não me agradou, :x)... irei conferir com toda certeza.

    https://twitter.com/CaarolForbes/status/1015055349387276290

    ResponderExcluir
  8. Karina!
    Não li o livro, mas tenho a maior vontade e o filme parece trazer o enredo bem fiel ao original e bem visual mesmo, o que é bem bacana, assim entendemos o tamanho do amor entre eles, mesmo que em outros corpos.
    Amei!
    “Palavras gentis não custam muito, e ainda assim conquistam muito. (Blaise Pascal)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JULHO - 5 GANHADORES - BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. https://www.facebook.com/rudynalva.soares/posts/2241277685899046

      Excluir
  9. Que filme, que livro!!!!
    Consegui ver a adaptação estes dias e confesso que foi um dos melhores filmes deste ano.
    Leve, não, a história não é leve,mas a interpretação dos jovens atores deixou tudo mais leve, bonito e romantizado. A nos passa sua dor em alguns momentos,mas em contrapartida, nos mostra o quanto o amor pode salvar.
    Um filme lindo, trilha sonora, cenário, tudo!!!
    Mais do que indicado!
    Beijo

    https://twitter.com/AngelaGabriel1/status/1015183993904431105

    ResponderExcluir
  10. Vou ser bem verdadeira, creio que esperava demais do livro e acabei não curtindo a forma como se desenrolou a trama, creio que a proposta é super interessante, mas para mim não me agradou. Mas ainda sim estou na expectativa para conferir o filme.

    ResponderExcluir
  11. Ainda não vi o filme, mas eu adorei o livro!
    Estou com uma expectativa bem alta pro filme, espero não me decepcionar.
    Pretendo ir ver semana que vem.

    beijinhos
    She is a Bookaholic
    https://twitter.com/SBookaholic/status/1017534843691905025

    ResponderExcluir

Instagram

© Coisas de Mineira - 💜 🐶 📖 🍀 💜 – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in