Destaques

novidades por e-mail

19 junho 2018

{#RESENHA } HEROÍNAS - LAURA CONRADO, PAM GONÇALVES E RAY TAVARES

 HEROÍNAS da autoras Pam Gonçalves, Laura Conrado e Ray Tavares,  uma coleção de contos, que focam em mulheres trazendo para o contemporâneo historias clássicas que tinha como protagonistas masculinos. Lançado em 2018 pela editora Galera Record o livro tem 256 páginas.
Titulo: Heroínas | Autoras: Pam Gonçalves, Laura Conrado e Ray Tavares |Ano: 2018 | Páginas: 256 | Editora: Galera | Gênero: Contos, Jovem adulto | Adicione a sua lista do Skoob| Onde comprar: Amazon 

O livro escolhido para esta semana é nada menos que Heroínas, das escritoras brasileiras Laura Conrado, Pam Gonçalves e Ray Tavares. Estive no lançamento delas em BH, que foi feito durante o Mochilão da Record, e além de conhecer as autoras, pude também conferir de pertinho o que elas falaram sobre cada conto, o que me deu mais vontade ainda de logo começar a leitura. Heroínas contém 3 histórias, uma de cada autora, e eles remetem a algum clássico dos heróis da literatura, porém se passando no mundo atual e tendo mulheres como protagonistas.

 HEROÍNAS da autoras Pam Gonçalves, Laura Conrado e Ray Tavares,  uma coleção de contos, que focam em mulheres trazendo para o contemporâneo historias clássicas que tinha como protagonistas masculinos. Lançado em 2018 pela editora Galera Record o livro tem 256 páginas.

O primeiro conto, “Uma por todas e todas por uma”, da autora Laura Conrado, é uma releitura dos Três Mosqueteiros e conta a jornada de Daniela D’Artagnan, uma jovem que está se preparando para entrar na faculdade de Medicina Veterinária e tem como sonho conseguir entrar pra ONG Mosqueteiros, que resgata e cuida de todo animalzinho que surge precisando de ajuda. Ao saber que a ONG estava com vagas abertas para voluntários, ela logo tenta entrar e por um desfecho do destino se vê trabalhando onde sempre quis. Lá, ela conhece Agnes, Aline e Poli, três estudantes de veterinária que trabalham na ONG e são as Mosqueteiras que Dani vê como inspiração.

 A história tem várias reviravoltas e desafios que as Mosqueteiras precisam enfrentar para salvar a ONG, e não vou contar mais para não estragar a surpresa. O que posso dizer é que o conto é extremamente fofo e mostra como o amor por uma causa une as pessoas mais incomuns para lutarem por aquilo que almejam.

HEROÍNAS - PAM GONÇALVES

O segundo conto, “Formandos da Távola Redonda”, da autora Pam Gonçalves, é uma releitura do Rei Arthur e os Cavaleiros da Távola Redonda e conta como Marina Artiaga, uma formanda do ensino médio, se vê no meio do caos do final do 3º ano com uma formatura para organizar em 2 meses, logo após o dinheiro dos formandos ser roubado de onde estava guardado na escola. Após a diretora quase implorar por sua ajuda, Marina assume a bronca e convoca 2 representantes de cada sala do 3º ano (ao todo são três) para pensarem em uma forma de salvar a formatura. O que acontece é que só as mulheres resolvem se engajar no projeto, e juntas, elas tem várias ideias para conseguir juntar um dinheiro para a festa dos sonhos. Além de todos os projetos, vestibulares, preocupações com a formatura e um namorado boy lixo, Marina conhece verdadeiras amigas na comissão de formatura, entre elas Ludmila Lancelloti, que a ajuda a lidar com toda a situação de pressão que está vivendo.

Este conto também é muito lindinho, e além da autora realmente mostrar a situação de pressão que vários adolescentes vivem no final do Ensino Médio, ela aborda também com bastante naturalidade, temas como homossexualidade, traição e amizade entre mulheres. Como a Pam disse no evento do Mochilão, a última cena é a melhor de todas, valeu o conto inteiro!


O terceiro e último conto, “Robin, a proscrita”, da autora Ray Tavares, é uma releitura de Robin Hood e é um pouco diferente dos outros dois contos. Ela nos conta a história de Roberta Horácio, uma cracker que mora na favela Selva de Pedra e usa todas as suas habilidades com o computador para extraviar dinheiro de corruptos que enriqueceram através de dinheiro roubado do povo e dar para aqueles que realmente precisam. Robin conta com a ajuda de duas amigas e do pastor da sua igreja para formarem uma quadrilha que ajuda as pessoas necessitadas, e o principal alvo para pegar o dinheiro para estas pessoas é o pastor Marcelo Felizzi (amei isso), um corrupto da igreja da comunidade que tira dinheiro do dízimo de todos para aumentar sua fortuna. Roberta, sob o codinome de Robin Hood, tem uma birra pessoal com o pastor, pois quando sua mãe precisou de sua ajuda, ele virou as costas para os Horácio e infelizmente o pior aconteceu.

Esta história é diferente pois tem um contexto um pouco mais denso e mais adulto, que tem como foco principal o lado social. Adorei como a autora fez comparações com várias coisas que estamos sofrendo no Brasil hoje sem perder o bom humor.

HEROÍNAS da autoras Pam Gonçalves, Laura Conrado e Ray Tavares,  uma coleção de contos, que focam em mulheres trazendo para o contemporâneo historias clássicas que tinha como protagonistas masculinos. Lançado em 2018 pela editora Galera Record o livro tem 256 páginas.

Avaliando o livro com os três contos em conjunto, o que posso dizer? Amei demais! Foi incrível a forma como as três autoras pegaram histórias extremamente masculinas e de certo ponto de vista, machistas, e transformaram em histórias com tanto Girl Power! As três protagonistas sempre buscam mostrar o quanto são fortes, seja pra salvar uma ONG e todos os seus animaizinhos, seja pra salvar a formatura, ou seja pra salvar toda uma comunidade. As personagens são carismáticas e decididas e evoluem muito desde o início. Mostram para todos que nenhuma mulher precisa de homem nenhum para se sobressair e que são verdadeiras heroínas.

As três autoras, cada uma da sua forma, fizeram contos que se passam no Brasil, com temas considerados polêmicos, e com várias referências que amamos. Confesso que o meu preferido foi o da Ray, não sei se porque eu gosto mais da história do Robin Hood ou se foi porque é um pouquinho mais adulto e fala de questões mais próximas da minha realidade. Mas os outros dois também são lindos demais e essa decisão foi difícil! Recomendo muito  pra qualquer pessoa e pra todas as idades. Não importa se você tem 14 ou 24 anos (como eu), Heroínas é pra qualquer um comer em horas (ele é pequeno, os contos são daqueles que conseguimos ler em uma horinha).

E quero deixar claro que qualquer livro que exalta as mulheres entra na minha lista de favoritos, e este com certeza entrou com um coraçãozinho do lado por ter tanta fofura. Se você é assim também, me recomendem historias com mais protagonistas mulheres e fortes, eu amo!

Comentários via Facebook

2 comentários:

  1. Puxa, que projeto bacana!!Trazer grandes clássicos da literatura mundial, com releituras trazendo mulheres vivenciando tudo isso!
    Maravilhoso olhar tudo por este ângulo e sabe o principal??
    Nosso, só nosso!!E viva a Literatura Nacional!
    Ainda não tinha visto ou lido nada sobre o livro,mas claro que já gostei demais de tudo que li acima, afinal não é pouca coisa trazer mulheres fortes vivendo papéis fortes.
    Vai para a lista de desejados com certeza.
    Beijo

    https://twitter.com/AngelaGabriel1/status/1009103851855732737

    ResponderExcluir
  2. Bem bacana essa nova perspectiva, releituras de grandes clássicos com mulheres a frente, show de bola! Gostei da resenha, da força das protagonistas para ir atrás do que almejam, assim que tem que ser, de fato verdadeiras heroínas. Com certeza vai para a lista de desejados e ah, a capa ficou bem bonita!

    https://twitter.com/CaarolForbes/status/1009256119993237505

    ResponderExcluir

Instagram

© Coisas de Mineira - 💜 🐶 📖 🍀 💜 – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in