Destaques

novidades por e-mail

12 junho 2018

{ #RESENHA } CARTAS SECRETAS JAMAIS ENVIADAS - EMILY TRUNKO

RESENHA: CARTAS SECRETAS JAMAIS ENVIADAS - EMILY TRUNKO
Título: Cartas Secretas Jamais Enviadas | Autora: Emily Trunko | Ano: 2018 | Páginas: 200 | Editora: Seguinte | Gênero: Não Ficção, Jovem Adulto | Adicione a sua lista do Skoob  | Onde comprar: Amazon 


“Olhe para todas as partes que você esconde debaixo das camadas de ódio que sente por si mesma. Veja beleza na gordura, nas sardas, nas manchas de pele, nas espinhas, nas cicatrizes, e em todas as coisas que te fazem encolher de vergonha. Desse jeito vai ser mais fácil lidar com o bullying. - E.”

Sabe quando você começa a ler um livro e não consegue segurar as lágrimas, porque as palavras te tocaram bem lá no fundo? Então, o início desse texto eu estou escrevendo sem nem terminar a leitura, simplesmente porque fui tocada e as lágrimas vieram, assim como a sensação de que eu tinha que escrever com a emoção ainda dentro de mim.

Vou terminar de ler para finalizar a resenha, isso é certo, mas sou uma pessoa que escreve da seguinte forma: as ideias para os textos vem ao decorrer do dia, da noite, dentro do ônibus, no trabalho, enquanto ainda estou lendo o livro ou apenas dias depois de finalizar, com a cabeça tranquila e entendendo mais sobre a leitura.

{ #RESENHA } CARTAS SECRETAS JAMAIS ENVIADAS - EMILY TRUNKO
DICA DE LIVRO: CARTAS SECRETAS JAMAIS ENVIADAS - EMILY TRUNKO

Sem me delongar muito, a resenha de hoje não é sobre um livro de histórias que teve uma autora principal, na verdade Emily Trunko é apenas uma idealizadora (ou como está escrito na capa, organizadora do livro). “Cartas Secretas Jamais Enviadas” é uma coletânea de cartas escritas por diversas pessoas (anonimamente ou não), que foram enviadas para Emily poder postar em uma página do tumblr que ela mantém.

Para poder explicar sobre a publicação, acho que devo dizer um pouco sobre Emily primeiro. Tendo 16 anos, a garota vive na cidade de Copley, em Ohio, nos Estados Unidos. Quando tinha 11 anos, criou um blog de resenhas literárias, aos 14 resolveu criar dois tumblr que acabaram viralizando na internet, The Last Message Received, que nasceu da curiosidade por mensagens, textos, recados que mudaram a vida de seus destinatários.

E a segunda página foi a Dear My Blank, que começou como uma forma de escrever cartas que ela jamais enviaria para as pessoas, e acabou recebendo centenas de adeptos que também enviavam para a garota as suas cartas. É desta última página que vieram os textos deste livro.

LIVRO: CARTAS SECRETAS JAMAIS ENVIADAS - EMILY TRUNKO

Acho que algo que me marcou bastante durante a leitura, foi o fato de que não eram os sentimentos, pensamentos e mensagens de apenas uma pessoa, e sim de várias diferentes. Temos cartas que passam por vários estados de humor e da história de cada um desses colaboradores, e tenho que dizer que é impossível não se identificar com pelo menos uma delas.

Quem nunca quis deixar uma carta para “você mais jovem”, e dizer algo que ele precise saber, ou até mesmo para o seu “eu mais velho”, com coisas que precisa lembrar com o passar dos anos. Quem nunca sofreu alguma decepção, seja amorosa, ou com alguém querido, e não conseguiu dizer o que estava sentindo cara a cara, mas queria de alguma forma desabafar?

Os temas das cartas são os mais diversificados o possível, desde “agradecimento” por algo ou alguém, até a tentativa de superar a perda de um ser especial (falo ser, porque o luto não é apenas para pessoas) escrevendo algumas palavras que você gostaria que ele soubesse.

Existem também cartas de diversos tamanhos, há aquelas maiores, em que a letra teve que ser diminuída e duas páginas foram utilizadas, e também aquelas pequenas em que a tipografia foi escolhida de uma forma que ela ocupasse boa parte da página.


Falando sobre a página, vou sair um pouco da forma que geralmente escrevo resenhas, e dizer sobre a diagramação. Que cuidado que a editora Seguinte teve com essa publicação. Sempre elogiamos os livros da Darkside, pelas capas belíssimas e como ela coloca detalhes lindos dentro de suas páginas, e quero dizer que a Seguinte não deixou nada a desejar.

O cuidado com a capa dura e os desenhos que ela possui, assim como a escolha da tipografia de toda publicação e as ilustrações de cada página, fez com que ela ficasse linda e fofa. Com certeza, “Cartas Secretas Jamais Enviadas” é um dos livros mais bonitos que possuo na minha estante, além de ter entrado na minha lista de favoritos.


Para não me estender muito nessa resenha, preciso dizer mais uma coisa. Durante a leitura, tive que parar algumas vezes para poder escrever as minhas próprias cartas que nunca serão enviadas. Já tinha um tempo que não colocava os pensamentos/sentimentos em palavras escritas, e já havia me esquecido como era bom. Na verdade, esse era um hábito que adquiri na minha adolescência e levei até o início da faculdade, mas com a correria do dia a dia, acabei deixando para lá.

Lendo as cartas das outras pessoas, essa vontade de escrever novamente veio com uma força muito grande, acredito que essa é uma experiência que todos deveriam algum dia experimentar. Aliás, ao final do livro, Emily deixa um pedido para os leitores: que também compartilhem sua carta. Ela explica como podem fazer para enviar para a página dela. Caso a pessoa não queira compartilhar online, existem algumas páginas para que possam ser escritas no final do exemplar.

“Ajo como se soubesse o que estou fazendo, mas a verdade é que estou à deriva, me afastando cada vez mais da praia. Não quero desapontar ninguém. - B”

Comentários via Facebook

4 comentários:

  1. Gostei da resenha antes mesmo de começar a ler e depois de ler, gostei ainda mais do que me foi apresentado. Uma coletânea de sentimentos dos mais diversos, quando as palavras nos faltam, escrever é um escape. Achei a capa linda e pelas fotos, dá para ver como a editora fez tudo com muito cuidado e carinho. Quero na minha estante mas antes, tem que ir para minha lista de desejados.

    https://twitter.com/CaarolForbes/status/1006708031416127488?ref_src=twcamp%5Ecopy%7Ctwsrc%5Eandroid%7Ctwgr%5Ecopy%7Ctwcon%5E7090%7Ctwterm%5E3

    ResponderExcluir
  2. Ah como eu tenho vontade ler este livro(e o irmãozinho dele também)
    Sou fã de livros que trazem a alma de quem os escreve e neste, por tudo que li até agora, tem alma demais. Não só de quem escreveu as cartas, sejam grandes, pequenas, mas também coloca a alma de quem está ali lendo, meio que nas páginas também. Tanto que você disse que teve que parar a leitura e escrever.
    Talvez seja esta a intenção da jovem autora...
    Está na lista de desejados e espero sentir tudo isso quando ler!
    Beijo

    https://twitter.com/AngelaGabriel1/status/1006856703923679232

    ResponderExcluir
  3. Oi Ana Elisa,
    Nunca escrevi uma carta, não uma de verdade, sincera e honesta, mas este meio de comunicação sempre me foi curioso, pois muitas vezes nos falta coragem para dizermos certas coisas e palavras escritas tem tanto ou mais poder que palavras ditas. Acho que Emily Trunko soube da importância do desabafo e sua iniciativa deu coragem e voz para muitos que precisavam se expressar. É um bom livro para se ter por perto, como livro de cabeceira, por exemplo e, com certeza, uma boa opção para se presentear alguém. E que grande surpresa uma autora tão jovem nos agraciar com um trabalho tão profundo como esse, confesso que fiquei curiosa para saber mais sobre ela.

    ResponderExcluir
  4. Como sou da época que ainda se mandava cartas, quando vi esse livro tanto o titulo quanto a capa fizeram meus olhos brilharem, já tinha lido resenhas dela e quero dizer que gostei muito do modo carinhoso com que tu resenhou. Embora cada carta sejam com temas particulares tenho certeza que esse livro é melancólico, remetendo o leitor a uma introspecção. Com certeza está na lista.

    ResponderExcluir

Instagram

© Coisas de Mineira - 💜 🐶 📖 🍀 💜 – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in