Destaques

novidades por e-mail

19 janeiro 2018

{#ADAPTAÇÃO LITERÁRIA} VULGO GRACE - MARGARET ATWOOD

VULGO GRACE (Alias Grace) | Autor: Margaret Atwood | Ano: 2017 (1° edição 1997) | Páginas: 494 Editora: Rocco | Gêneros:  Romance, Histórico, Mistério | SKOOB | Onde comprar: AMAZON | Série: Netflix | Temporadas: 01 | Episódios: 06 | Duração: 50 min | Status: Finalizada Adicione a sua lista do Skoob | Onde comprar : AMAZON 

"Certo ou errado não importa. As pessoas querem um culpado."

Meu texto essa semana vai realizar duas indicações de uma vez só: um livro e uma série. Trata-se de "Vulgo Grace", livro da canadense Margaret Atwood publicado no Brasil pela editora Rocco, baseado no famoso crime real acontecido no país no século XIX, onde a jovem Grace Marks de apenas 16 anos foi condenada pela morte do seu casal de empregadores. Se você acompanha meus textos por aqui, vai se lembrar que eu já indiquei uma obra de Atwood antes, brilhante por sinal, que é a famosa "O Conto da Aia" (também da editora Rocco), ou no inglês como ficou o título da série "The Handmaid's Tale" (se você ainda não leu a indicação pode clicar AQUI).

A história de "Vulgo Grace" acontece anos após a condenação da moça, onde esta se encontra presa após já ter passado por momentos de completo desespero em um manicômio, e trabalha durante o dia em uma casa de família renomada como parte da pena (eles na verdade só a aceitam ali por desejar aproveitar de sua "fama"). Acontece então a chegada na cidade do Dr. Jordan, a convite de um grupo influente que deseja a absolvição de Grace, com intuito de conversar com ela e coletar informações que possam auxiliar na comprovação de sua inocência.


Somos então mergulhados na vida da jovem a partir de seus próprios olhos e palavras. Acompanhamos sua vida desde a vinda junto com a família da Irlanda para o Canadá, a morte da mãe durante o trajeto, a infância precária com os vários irmãos e o pai abusivo, até que consegue sair de casa e ir trabalhar como doméstica na casa de senhores ricos. Nestes empregos conhecerá a jovem Mary Whitney, que terá grande influência em seu amadurecimento e personalidade, e em sua última casa de trabalho o solteiro Sr. Kinnear, sua governanta Nancy Montgomery e o encarregado James McDermott. Será justamente neste emprego que acontecerá o crime do qual ela será condenada.

"A diferença entre o ignorante e o estúpido é que o ignorante pode aprender."

As grandes dúvidas que pairam no ar são: Será Grace Marks realmente culpada pelos crimes que foi acusada? Como acreditar em sua fala envolvente e aparentemente sincera uma vez que ela e McDermott foram encontrados dois dias após o crime, em fuga, portando todos os objetos de valor da casa do Sr. Kinnear? Grace inclusive estava vestida com as roupas de Nancy. Essa é a árdua missão do Dr. Jordan, que a cada encontro se sensibiliza com a jovem frágil à sua frente, e busca meios de acreditar em suas palavras.


Como eu disse no começo, a história é baseada em um crime famoso e real acontecido no Canadá. Grace e McDermott foram condenados à morte pelo duplo assassinato, sendo ele enforcado e a pena dela revertida em prisão perpétua. A grande questão que sempre ficou no ar foi a participação de Marks no ocorrido, o que a autora usou de forma inteligente ao inserir o personagem psiquiatra fictício, "dando" assim a oportunidade de Grace se explicar diretamente a nós, e assim podermos chegar a um veredito final particular.

Em 2017, a Netflix aproveitou o boom popular que a autora recebeu após o lançamento da premiada The Handmaids Tale (que vocês devem MESMO assistir), e resolveu produzir uma série de 6 episódios sobre a história de Grace Marks com título homônimo ao livro. Sobre a série eu preciso dizer de imediato que a atuação de Sarah Gadon como Grace Marks é sensacional! Ela retrata de forma exemplar a fala mansa, inocente, manipuladora e envolvente da jovem e nos faz querer ouvi-la por horas e horas. Nos coloca no dilema da sociedade da época que também se deixou cativar por seu relato. Edward Holcroft como Dr. Jordan também direciona a história e passa emoção através de seu olhar, o que resulta em uma experiência de esperança, desespero, descrença, dúvida e amor. Anna Paquin, famosa por True Blood e X-Men, talvez seja o nome de maior destaque no elenco e faz jus à posição no papel da desequilibrada Nancy Montgomery.

Acima: Documentos originais do caso.
Abaixo: Margaret nos bastidores da gravação de sua participação especial.

Margaret Atwood mais uma vez se destaca na sua forma exemplar em descrever a força da mulher. Sem desviar do tema central, ela não deixa de abordar a marginalização feminina e desigualdade de gênero sofridas na época, além de nos presentear com o relato de Grace contornando tudo isso. Com uma linda capa e quase 500 páginas, "Vulgo Grace" é minha forte indicação para sua lista de leitura, assim como espero que a pequena série entre logo em sua lista de exibição.

"Nós não perdemos, nós simplesmente não ganhamos ainda."

Comentários via Facebook

16 comentários:

  1. Estou enrolando horrores para assistir a série exatamente por causa do livro, mas confesso que tive vontade assistir assim mesmo porque sou muito curiosa por causa da personalidade da Grace e do desfecho dessa história. Tenho meus palpites e quero saber se estão certos, ótima crítica Karine, beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Yana, obrigada!
      Olha, acho q pode ser até legal vc assistir primeiro. O livro tem uma linguagem mais dura, q pode te causar estranheza ou cansaço. Através da série vc vai no embalo.

      Excluir
  2. Karina!
    Não sabia que a história era baseada em fatos reais.
    E as dúvidas permancem durante todos esses anos, bom para nós que podemos discutir sobre o assunto, embora ninguém nunca saberá se está ou não correto.
    Pelo visto a autora gosta de livros polêmicos, porque o anterior, também trouxe muita divergência e discussão.
    Quero poder ler o livro e assistir o filme!
    Desejo um ótimo final de semana!
    “Meta para o Ano Novo? Ser feliz!” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    1º TOP COMENTARISTA do ano 3 livros + Kit de papelaria, 3 ganhadores, participem!
    https://www.facebook.com/rudynalva.soares/posts/2033605536666263?pnref=story

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rudy! Uma das coisas mais interessantes deste livro é isso mesmo, vc ter a oportunidade de formar sua opinião assim como a sociedade da época fez. Bjos

      Excluir
  3. Devorei a série no exato momento em que foi liberada na Netflix e só posso dizer que é, MARAVILHOSA! Atuações sensacionais, que série! Os livros das duas adaptações já estão na minha lista, quero pra ontem porém, ainda não foi possível por motivos $$$ infelizmente, voltando... Seu texto está excelente, parabéns Karina! Uma colcha de retalhos (analogia proposital), intrigante, hipnotizante, muitas perguntas são feitas pra poucas respostas, haha Mas, é lindo! Que ano para a Atwood, que ano!! Palmas pra ela!!

    https://twitter.com/CaarolForbes/status/954476526287941632

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol! Que ano pra Atwood mesmo! Tendo a oportunidade ($) não deixe de ler os livros... os 2. Valem muito a pena. Bjos

      Excluir
  4. Oi Karina!
    Quando li a primeira resenha do livro, achei tão interessante que fui buscar mais detalhes, aí descobri que era baseado em fatos reais.
    Antecipadamente já acredito que a Grace não seja completamente culpada, talvez pelas inúmeras opiniões que li, acredite que ela seja inocente, e gostei de saber que a atriz representa bem a personagem.
    Confesso que estou bem curiosa quanto ao que vai acontecer a Grace, pretendo assistir, assim como quero mto o livro
    Beijos

    (https://mobile.twitter.com/Pantielly/status/954503502046343168)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vitória! Tendo a oportunidade não deixe de ler, e tire suas dúvidas sobre o caráter de Grace!

      Excluir
  5. Oi, Karina!
    Assim que sai a série pela Netflix corri para assistir! E gostei muito da estória, apesar de ficar algumas vezes perdida na estória e sem saber se a Grace cometeu ou não o crime. Ainda tenho curiosidade de ler o livro é claro também quero muito ler O conto da Aia.
    Bjoss

    https://mobile.twitter.com/Martaizabeln/status/954521006630154241

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marta! Tendo a oportunidade, não deixe de ler os dois!

      Excluir
  6. Sendo mais uma vez a rainha da sinceridade, não assisti e nem li nenhum dos dois livros! Mas, sei que tanto quem lê, quanto quem assiste (ou ambos), estão apaixonados pela forma de abordagem da autora.
    Depois que virei mãe de dois, eu consigo mais encaixar livros na minha rotina e as séries ficaram mais de lado. Eles dominam tudo por aqui... hahahaha
    Até a próxima. Beijos!!

    Compartilhamento: https://twitter.com/Jack_sGirl/status/954666695624396800

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol! Tendo a oportunidade, não deixe de ler/ver esta série. Bjos

      Excluir
  7. Realmente li muitas resenhas positivas sobre este livro, e como boa leitora ainda não quis olhar o seriado antes de realizar a leitura dele. Creio que seja uma leitura rápida devido ao seu mistério. Amei demais conferir tua postagem, me deixou ainda mais animada pelo livro e pelo seriado! Espero pode matar minha curis idade em breve!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Michelli! Mate sim, e depois venha me contar o q achou! Bjos

      Excluir
  8. Oi Karina!
    Amei a resenha sobre a série, eu tô louca pra ver e acho que o farei antes de ler o livro!!! <3
    xoxo
    Rê

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Rê! Foi assim q eu fiz, assisti primeiro. E vou te dizer que não me atrapalhou nada. Então meu conselho é: Aproveite!
      Bjos

      Excluir

Instagram

© Coisas de Mineira - 💜 🐶 📖 🍀 💜 – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in