Menu

{#SÉRIES} TOP 5 | SETEMBRO AMARELO

29 setembro 2017

Prevenção ao suicídio

O mês de setembro está acabando e com ele a campanha Setembro Amarelo que, mais uma vez, vem nos sensibilizar e criar estratégias para prevenção ao suicídio. Podendo ser considerado o grande mal do mundo contemporâneo, os números são bastante altos e crescem cada dia mais, sendo assim, já passou da hora de parar de ser negligenciado.

Diversos males, doenças e transtornos podem atingir este fim, então é necessário um maior engajamento da população frente aos sinais e sintomas daqueles que precisam de ajuda. O Blog Coisas de Mineira se sensibiliza com a causa e se preocupa com o bem-estar mental, por isso, estamos fazendo essa semana com todo nosso conteúdo voltado para a campanha. Eu resolvi, ao invés de escrever diretamente sobre o suicídio, utilizar exemplos de pessoas que em meio às dificuldades conseguem encontrar uma forma de lidar com tudo isso de cabeça erguida. São então estes exemplos que eu gostaria de deixar para vocês neste Setembro Amarelo:


1. Glee


Poster glee

É muito provável que todos já tenham ouvido falar dessa série. Iniciada em 2009, durou 6 temporadas, sendo finalizada em 2015. Conta a história dos alunos rejeitados por diversos motivos no colégio McKinley High que se reúnem através da reativação do coral da escola, comandado pelo também rejeitado Professor Schuester. Sendo alvo de gozação e bullying dos outros alunos e também da treinadora do premiado time de animadoras de torcida, Sue Sylvester, o grupo se esforça cada dia para seguir em frente de cabeça erguida e impondo suas vontades. Essa série é um hino das minorias e trabalha diversos temas que podem ser considerados como gatilho para situações mais graves, dentre eles estão: homofobia, racismo, TOC (transtorno obssessivo compulsivo), bulimia, gravidez na adolescência, estética padrão, identidade gênero, violência doméstica...

2. Chasing Life


Chasing life serie

Essa série é muito pouco conhecida e uma das mais lindas que eu já assisti. Mais para frente eu vou fazer uma publicação específica para ela, porque merece, mas por enquanto vou apenas resumir a importância dela aqui para vocês. Conta a história da jornalista April que, através de uma matéria que estava fazendo, descobre que está com leucemia. Como o próprio nome da série diz, a história vai focar na "Mudança de Vida" de April, que rapidamente precisa iniciar seu tratamento. Vai ser neste novo mundo dela que vamos tomar conhecimento de diversas outras histórias e outros pacientes em diferentes estágios de aceitação e de tratamento. Além disso, temos contato com sua mãe,  irmã, irmã adotiva e falecido pai que também passam por fortes situações de gatilho.
Mais do que tudo isso que eu já falei, Chasing Life também é um leque de exemplos de superação e persistência, da luta diária.

3. Atypical


Atypical Netflix

Essa tá fresquinha! Recém lançada na Netflix, conta a história do garoto Sam, de 18 anos, diagnosticado do TEA (Transtorno do Espectro Autista), estudante do ensino médio e que decide começar a namorar. A série acompanha seu dia-a-dia driblando as limitações e o seu empenho em conseguir. Porém, mais do que focar em Sam, a série também acompanha o cotidiano de sua família e as adaptações necessárias a eles no convívio com o garoto.

Direta e indiretamente relacionados ao autismo (ou em alguns casos nem isso), a série aborda diversas situações onde seus personagens buscam a melhor saída. Eu gosto muito destas séries que mostram que o conceito de "normal" está apenas na nossa cabeça e mostram com naturalidade as pessoas que vivem bem e com qualidade apesar de suas limitações e/ou condições especiais. Com outros exemplos neste estilo são: Sheldon em The Big Bang Theory e Emma em Glee, ambos com TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo).

4. Switched at Birth


Série

Bom, se você acompanha as postagens do blog sabe que eu gosto muito desta por diversos motivos, e o principal deles é seu foco em lidar e superar diversas situações. Como eu já expliquei no meu post sobre a série (que se você não viu pode clicar AQUI), se trata da história de duas jovens que descobrem aos 16 anos, através do trabalho escolar de uma delas, que foram trocadas no nascimento. Vivendo em mundos opostos (família rica e família da periferia), Bay, Daphne e suas famílias terão que criar uma estratégia para resolver este problema, tendo ainda os pais biológicos de Daphne o desafio de aprender a linguagem de sinais para comunicar com a garota, uma vez que ela perdeu audição após uma meningite na infância. Além além do tema principal de convivência com a surdez e superação dos obstáculos impostos, a série ainda trabalha com diversos temas importantes como: depressão, racismo, violência, corrupção, abuso sexual, drogas, preconceito, síndrome de Down, frustrações profissionais... e muito mais!


5. 13 Reasons Why

Os 13 porquês

Esta deixei por último de propósito. Tenho certeza que muitos de vocês lembraram dela na hora em que leram "Setembro Amarelo", e eu vou explicar o porquê de eu quase não colocá-la nessa lista. A série conta a história de Hannah Baker que aos 16 anos cometeu suicídio. Dias depois, como planejado pela garota, 13 pessoas de seu convívio passam a receber fitas gravadas por ela contendo "os 13 motivos" de sua morte, sendo cada uma dessas pessoas responsável por um deles. Com a rotina proposta de receber as fitas, escutar todas e passar para o próximo da lista, os motivos seguem uma ordem cronológica, crescente em gravidade, e acompanhamos a vez do garoto Clay Jensen escutá-las. Sem entender o motivo de Hannah ter se matado e muito menos o porquê de estar na lista, Clay vai escutando fita por fita tentando entrar no mundo em que a garota estava vivendo.

Olha, eu acho a ideia da história muito interessante, porém igualmente perigosa. É preciso muito cuidado ao abordar o tema, principalmente quando o seu público-alvo são os adolescentes que estão vivendo no mesmo ambiente em que a garota vivia. Ao mesmo tempo em que você cria um alerta na cabeça de quem convive com pessoas que apresentam sintomas semelhantes aos de Hannah, você cria também nas "Hannah's telespectadoras" um alerta de que não existe saída por mais que você procure em todos do seu convívio, e que esta dor interna só é resolvida ao tirar a própria vida.

Ao contrário do livro, que ao meu ver teve uma forma mais responsável de passar a história, a série se perde ao prolongar a trama e incluir situações entre os demais personagens para "preencher o tempo". A Hannah da série também se perde e se contradiz em diversos momentos (mais por culpa do roteiro do que da atriz que é muito boa), chegando até mesmo a ultrapassar perigosamente a linha da culpabilização da vítima, fazendo alterações  irresponsáveis na história, inserindo na discussão  o famoso e machista "ela consentiu" ou "ela procurou" como um fato pouco trabalhado. Alguns dos motivos que receberam uma fita na série, de tão mal trabalhados parecem "apenas um problema de adolescente" e não traduzem o problema da depressão que a garota estava vivendo, sendo assim, o meu motivo principal ao incluir esta série aqui hoje é o do alerta aos adolescentes que estão assistindo sem a maturidade necessária. Então, se você tem contato com algum deles, fique de olho.

Eu acredito que os motivos que levam alguém a atentar contra a própria vida devem ser discutidos e trabalhados, mas não de uma forma culpar o outro, embora a série seja um excelente espelho para mostrar que bullying não é brincadeira e causa diversos danos físicos e mentais. E principalmente, acredito em exemplos de superação e luta diária para o auxílio das pessoas que estão na situação de Hannah (que infelizmente, na história, não conseguiu apoio e uma saída diferente para o mal que sentia).

comentário(s) pelo facebook:

20 comentários:

  1. Que lista incrível! Realmente, eu concordo que o suicídio é um assunto muito delicado e deve ser abordado com muito cuidado. Eu gostei muito muito das séries que você indicou, a minha favorita é Atypical, que achei fantástica e recomendo à todo mundo, pois trata de assuntos sérios, mas não deixa de ser leve e divertida.
    Amei a campanha do setembro amarelo, o suicídio é algo terrivelmente atual e deve ser discutido. Bjos!

    ResponderExcluir
  2. Ótimos exemplos para se passar nesse mês que é dedicado a sensibilização e prevenção ao suicídio. Concordo totalmente em como abordou a série 13 Reasons Why, maturidade e conscientização do que a série quer nos passar, temos que ficar de olho. Glee é meu amorzinho e já bate uma nostalgia de acompanhar a história e relembrar seus ensinamentos que foram diversos. Vou aguardar a publicação especifica de Chasing Life, ótimo Top 5 Karina, parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Oi Karina.
    Eu amei as dicas.
    Eu curtir bastante a série Glee, porém na época que assistir não me atentei a enfase no bullying, (era bem nova), mas enfim, eu adorava porque das musicas, pretendo assistir em breve novamente e dessa fez focar no que realmente importa.
    Eu fiquei curiosa para conferir: Switched at Birth achei o enredo interessante e estou aniso para saber o que acontece.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Que interessante ter algumas séries assim pra ilustrar a importância dessa campanha. Normalmente vejo livros quando vejo alguma coisa do Setembro amarelo. Bem legais essas dicas.
    Atypical é a unica que me chamou atenção pra e estou doida pra conhecer. Parece uma história muito legal e com temas que chamam atenção, mas gostei do jeito mais leve da história e da força que ela tem apesar disso. Não parece uma série boba.
    A de Switched at Birth eu pensei em ver uma vez mas não deu. Já não chama muita atenção hoje em dia...
    De 13 Reasons Why é aquela queridinha. Livro que amei, série que adorei e pretendo assistir de novo alguma hora. Essa é muito boa e as coisas que ela fala são muito importantes. O jeito como as coisas são tratadas, a forma como mostra os sentimentos dos adolescentes/quase adultos e os relacionamentos e como tudo tem uma importância às vezes maior do que a gente normalmente dá...ahh, mas é boa viu. Essa pegou uns assuntos que merecem destaque e adorei a fama que ela teve por isso.
    Muito bom esse top 5 ^^

    ResponderExcluir
  5. Olá, Glee de longe se destaca como a mais bem trabalhada do post, pois aborda de forma dinâmica vários temas de relevância na sociedade. As mensagens da série são belíssimas e tenho certeza que vão me marcar para sempre. Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Olá Karina! Acho todos deveriam assistir Glee. Eu adoro essa série, fiquei muito triste quando acabou. Realmente um mês voltado para a prevenção do suicídio é uma ótima iniciativa para abordar o tema de forma ampla e conscientizar pessoas sobre os sintomas e como lidar com eles. É bom ver que também temos outras séries menos conhecidas que mostram o cotidiano de pessoas com problemas de saúde mas que os superam de maneira real e otimista. Beijos

    ResponderExcluir
  7. Adorei o post!
    Glee é a minha série favorita da vida e eu aprendi muito com ela!
    As outras eu conheço e só assisti 13 Reasons Why e eu adorei muito também. Bem forte e com muita reflexão!

    ResponderExcluir
  8. Três séries dessa lista eu não conhecia.
    Glee eu assisti alguns episódios e fiquei surpresa, pois, esperava ver algo totalmente diferente.
    13 Reasons Why ainda não assisti, quero muito ler o livro primeiro.

    ResponderExcluir
  9. Oi, Karina!
    Gosto bastante da série Glee, principalmente por causa que em evidência está aqueles que sofrem  bullying dos outros alunos, como você mesma disse, essa série é um hino das minorias, e isso eu nunca vi em outra série de tv...
    Concordo com você em relação a 13 Reasons Why, é preciso muito cuidado ao abordar esse tema por causa das "Hannah's telespectadoras".

    ResponderExcluir
  10. Das séries aqui citados somente Switched at Birth e Chasing Life eu conheço mais a fundo, a primeira por já ter visto umas postagens favoráveis e a segunda por ter assistido alguns episódios quando tinha tv paga. Eu gosto muito de séries, filmes e livros que abordem os temas que o #setembroamarelo tenta desmitificar. No entanto Glee e 13 Reasons não creio serem boas escolhas, porque em Glee os alunos mentem pra caralh@ e mostram isso como algo normal, um dos atores morreu de overdose e por aí vai. Enquanto a das fitas é pesada pacas e não é recomendada a quem tenha gatilhos de qualquer tipo. A da netflix por ser pobre de marré nunca ouvi falar. Eu só acho que nem sempre o setembro amarelo ajuda, mas eu ainda espero que com o passar dos anos o sofrimento mental parece de ser tabu, que deixemos de sofrer o preconceito que o mundo e a sociedade tem para conosco e que não seja mais preciso campanhas para prevenir algo que poderia ser remediado se os humanos soubesse amar mais uns aos outros…

    ResponderExcluir
  11. Oi Karina,
    Sei que o assunto é difícil e complicado de ser abordado, principalmente dentro de casa, mas se este mal pode ser prevenido, temos que ser mais conscientes e mais abertos sobre o tema. Das séries indicadas só conheço Switched at Birth e Glee (que sempre será uma de minhas séries favoritas). As demais nunca assisti, mas fiquei bem interessada Chasing Life (que não conhecia) e, claro, 13 Reasons Why.

    ResponderExcluir
  12. Gostei muito do seu ponto de vista de Reasons Why assisti a série e confesso que pra mim faltou algo, não chegou a me agradar. Assistia Glee com a minha filha e gostava nem terminei vou voltar a assistir. Fiquei interessada em assistir Switchd at Birth.

    ResponderExcluir
  13. Oi, Karina!!
    Gostei muito das suas indicações. Assistir Glee umas duas temporadas e 13 Reasons Why. E pretendo ainda assistir Atypical na Netflix!!
    Bjoss

    ResponderExcluir
  14. Excelente essa campanha, muito boa essa sua lista, desses só já assisti o Glee e gostava muito, o 13 Reasons Why não chegue a ver mais essa é muito comentada, o tema suicídio é bem complicado porem deve ser sempre abordado pois essa é a melhor forma de prevenção.

    ResponderExcluir
  15. Oi! Tudo bem?
    Gostei muita da lista de indicações de série.
    Da lista eu já assisti Atypical, 13 Reasons Why e Glee. As outras ainda não vi, mas agora pretendo!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Assisto muita coisa, mas agora não me recordo de alguma, a não ser Os 13 Porquês. Prevenção, informação, são coisas absolutamente necessários e acho que não exitem formas melhores de conhecer sobre assuntos poucos divulgados como nas séries. São São atrações que atingem muitas pessoas, várias faixas etárias.

    ResponderExcluir
  17. Eu adorei essa iniciativa do blog! Dessas séries, as únicas que eu já assisti é 13 Reasons Why e Switched at Birth. Mas tenho bastante vontade de assistir Chasing Life e Atypical. Adorei o post!!
    Bjss ^^

    ResponderExcluir
  18. Olá. Bem legal esse post e o incentivo de vocês de falar de forma mais leve sobre um tema tão difícil. Da lista eu só assisti Atypical e 13 Reasons Why. Sobre o 13 Reasons Why, eu gostei e não gostei. Não gostei do roteiro, achei a série como série fraca, mas gostei da mensagem, da importância da história. Atypical foi mais ou menos a mesma coisa, mas adorei a abordagem do autismo. De qualquer forma, é sempre importante vermos exemplos na mídia que trazem essa discussão tão importante!

    ResponderExcluir
  19. Oi! Gostaria de comentar sobre 13 reasons why, que sinto muita vontade de ler o livro mas quase nenhuma de assistir a série. Pelos mesmos motivos que foram citados no post e que muitas pessoas tiveram a mesma visão.

    ResponderExcluir
  20. Oi Karina,
    Primeiramente gostei muito dessa campanha do mês de Setembro Amarelo que além de nos sensibilizar cria possíveis estrategias para prevenir o suicídio. Infelizmente da lista que você citou só assisti 13 Reasons Why e Glee, mas pretendo assisti o restante pois é sempre bom conhecer mais sobre séries ou ate mesmo filmes que relata sobre isso.

    ResponderExcluir

 
© 2015 - Todos os direitos reservados 🐶 🐶 🐶 - Layout por Leh Pimenta