Menu

#SÉRIES | SWITCHED AT BIRTH - A DOCE JANELA DE CONHECIMENTO

17 agosto 2017

Distribuidora: ABC | Temporadas: 5 | Status: Finalizada | Gênero: Drama | Duração dos Episódios: 45 min | Disponível na Netflix

Escolhi indicar para vocês hoje uma série que foi finalizada este ano (Aaaaah!). Ela não foi a série com melhor história, nem com melhores efeitos especiais, ou destaque em premiações, mas discutiu tantos assuntos importantes que acho que está passando da hora de falar dela aqui.

"Switched at Birth" (ou "trocadas no nascimento" em tradução livre para o português) conta a história das jovens Bay e Daphne que, devido a um erro no hospital, foram trocadas após o nascimento. Bay vai então morar com casal rico Kathryn e John Kennish, e Daphne vai para o lar da latina Regina Vasquez. Após 15 anos, através de um trabalho escolar, Bay descobre que existe algo errado em sua filiação além da sua comum implicância com a falta de semelhança com os pais e, após convencê-los a realizar um teste em laboratório, a troca é descoberta. Daphne é então localizada vivendo com Regina, e as duas famílias precisarão se unir e criar uma estratégia para contornar este erro, tendo ainda os Kennish o desafio adicional de aprender um novo idioma, a Libras, pois a garota teve como consequência de uma meningite na infância a perda da audição.




Essa série é fantástica. Ela é clichê? É sim. É dramática? Demais. Mas aborda temas necessários? Em todos os episódios! Além da inclusão escancarada do suporte familiar e educacional aos surdos e seu desenvolvimento profissional, em seus cinco anos ela também abordou racismo, violência, corrupção, abuso sexual, drogas, preconceito, síndrome de Down, frustrações profissionais... e muito mais!

Talvez você já tenha visto alguns dos atores em outros lugares, pois muitos são conhecidos de outras séries famosas: Vanessa Marano, a Bay, foi a filha do Luke em Gilmore Girls; Katie Leclerc, a Daphne, foi uma das namoradas do Raj em The Big Bang Theory e irá protagonizar a nova série "Confess" baseada no livro homônimo da Colleen Hoove;  Lucas Grabeal, o Toby irmão das garotas, é conhecido por High School Musical; Lea Thompson, a Kathryn Kennish, é conhecida pela famosa franquia "De Volta Para o Futuro". Mas preciso enfatizar que a coisa mais sensacional que essa série consegue fazer, principalmente na questão da surdez que é o seu foco, é "matar a cobra e mostrar o pau", pois além de falar sobre o potencial e desenvolvimento de seus personagens juntamente com a necessidade da inclusão, ela te mostra através de excelentes atores que são surdos como tudo é igual e possível.


Então, mais do que uma série para distrair, ela é uma janela aberta para discussões e conhecimento. Ao colocar dentro da casa de milhões de pessoas que desconhecem o idioma de libras a sua importância e a naturalidade em utilizá-lo, ela familiariza e desmitifica, uma vez que todos os diálogos da série em que apresentam personagem surdo (quase sempre) alguém está fazendo a tradução simultânea. Existe até mesmo um episódio especial em que não houve nenhum som, apenas sinais e legendas. Só uma observação importante, a língua de sinais utilizadas na série é a ASL (American Sign Language) e não a brasileira Libras, que acabei citando anteriormente apenas para que fosse mais fácil a identificação de vocês, então quase tudo será diferente (assim como os idiomas falados, não é mesmo?!).

Então fica a dica desta série que é uma aula e um conhecimento de vida. São ao todo cinco temporadas, sendo que as duas primeiras já estão na Netflix e as próximas logo logo vão chegar.

comentário(s) pelo facebook:

10 comentários:

  1. Oi Karina,
    Logo que lançou Switched at Birth, me vi muito interessada na trama e dei início aos episódios fazendo longas maratonas. No começo não conseguia para de assistir, pois o enredo trás tantas coisas importantes, algumas familiares outras de extrema importância para serem discutidas, mas com o tempo perdi o interesse. Gosto de todo teor dramático da série e os temas abordados e indico ela para quem gosta de séries familiares, mas por enquanto não tenho interesse em voltar a assisti-la.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Kah.
    Eu acompanho a série e fico muito feliz por ver alguém falando dela. Gosto muito da série exatamente por abordar temas pouco discutidos no dia a dia. Amei você tê-la indicado.

    Parabéns.

    ResponderExcluir
  3. Oi Karina, tudo bem?
    Adoro séries, e adoro indicações. Não conhecia esta ainda, e achei super interessante toda esta questão sobre inclusão e os temas que são abordados. Fiquei feliz por saber que a primeira temporada esta disponível na Netflix, mas bem que podiam ser todos para a maratona ficar mais fácil né?!
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia a série, mas já foi pra minha lista de séries a serem assistidas. Achei interessante pelos temas abordados que fazem arte das nossas vidas e que é muito bom sempre estarem em alta, assim como alguns temas são poucos abordados, quando aparecem não podemos deixar passar batido. O elenco parece ser muito bom.

    ResponderExcluir
  5. Oi Karina.
    Adorei sua indicação e certamente adicionarei à minha lista na Netflix, que por sinal já está bem extensa. Falou em clichês e drama é comigo mesmo, rsrs.
    Beijinho.

    ResponderExcluir
  6. Nunca vi essa série na Netflix, porém fiquei feliz em saber que já tem a primeira temporada!
    Parece ser mesmo bem clichê e dramática, entretanto quem não gosta disso? Eu adoro, amo ver como os problemas deles vão se resolver.

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem?
    Não conhecia essa série, mas como adoro assistir a muitas e de estilos variados, já coloquei em minha lista. Que bom saber que tem na Netflix, vou pesquisar por lá e em breve irei assistir. Obrigada pela dica.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Que estória linda, e acredite e muito real, pois já aconteceu algo parecido aqui no Brasil, onde duas crianças foram trocas na maternidade, e uma foi para casa de ricos, e outra para pobre, imaginava a cabeça destas pessoas, e o quanto deve ser difícil lidar com está situação. Sou apaixonada pela linguagem de Libras, e acredito que todos deveriam aprender, eu tenho muita vontade. Gostei e muito dos temas abordados nesta série, e fiquei feliz em saber que tem na netflix, e claro que irei assistir.

    Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    Com toda certeza vai entrar na minha lista de séries a serem assistidas.
    Curtir os temas que são abordados;e a melhor parte foi descobrir que está disponível na netflix.

    lidia lorena Pedroso Vieira
    lidialorenanutri@gmail.com
    #precoisasdemineiraatomica


    ResponderExcluir
  10. Adorei a indicação, não conhecia a série mas, já quero conhecer. Gostei da questão da inclusão e dos temas abordados ao longo das temporadas. Tu realmente não tem limites nas indicações hein?! A cada post de série, minha lista cresce mais, não dá, não dá, não dá, não dá ô, haha

    ResponderExcluir

 
© 2015 - Todos os direitos reservados 🐶 🐶 🐶 - Layout por Leh Pimenta