Menu

{ #RESENHA } EU E VOCÊ DE A A Z - JAMES HANNAH

12 julho 2017

Eu e Você de A a Z | Autor: James Hannah | Ano: 2017 | Páginas: 272 | Editora: Rocco | Gênero: Ficção, Romance | Adicione ao Skoob 

Em Eu e você de A a Z conhecemos Ivo, um homem de 40 anos que está internado em um asilo. Seu estado é grave, terminal, ele tem falência renal. Para piorar, sua condição é agravada pelo histórico de uma vida desregrada que vamos conhecendo aos poucos. Ao lado dele está Sheila, uma dedicada enfermeira que faz o possível para dar um pouco de conforto a esse paciente que sente muita dor. Uma dor que não é só física.

Sheila sugere a Ivo que ocupe seu tempo dedicando-se a um jogo. Algo que será útil como uma espécie de exercício mental. O jogo consiste em percorrer o alfabeto e pensar em uma parte do corpo para cada letra. Após escolher ele deve pensar em uma história sobre essa parte do corpo. São essas histórias, diretamente ligadas a um de seus órgãos, resgatadas de suas lembranças que preenchem boa parte das páginas.



Ele relembra momentos vividos com amigos, com a mãe, com o pai, com a irmã e principalmente com Mia, seu grande amor. A todo momento fica implícito que alguma coisa atormenta e incomoda o personagem. Apesar desse fato não nos ser revelado inicialmente, é nítido que foi grave. Ivo se mostra amargurado, triste, perturbado. Ele foge das lembranças, tenta evitar o passado e isso me deixou muito curiosa.

Desde o início imaginei que uma trama em que um homem usasse partes do corpo em sua narrativa fosse algo bem interessante de se ler. Comprei a ideia e foi realmente uma boa leitura, mas um pouco triste também. Confesso que imaginei páginas um pouco mais românticas e não foi bem o que encontrei, há inclusive uma linguagem um pouquinho desbocada em algumas partes. Mas o romance está presente, um amor bonito e comovente, só não é uma obra do tipo melosa.

Fiquei muito envolvida, pois queria entender porque Ivo se tornou um homem ansioso, rancoroso e retraído. Por algum motivo ele se fechou em um casulo. A impressão que tive foi de que o protagonista estava sufocado em seus problemas mal resolvidos. O jogo de A a Z traz à tona boas lembranças, mas também traz aquelas que são dolorosas e lendo sabemos que a revelação pior ainda está por vir.


“... Até brincar desse jogo idiota está me invadindo, é como se cada
parte do meu corpo trouxesse tudo de volta pra mim.
Cada parte de mim quer contar a mesma história. ”
Pag. 178

Ivo narra em primeira pessoa. Além de lembranças lemos também sobre sua rotina no hospital, a atuação de Sheila, os sintomas da doença em estágio final, a convivência com outros personagens... A sinopse não é muito reveladora, o texto na primeira orelha também não. Só mesmo mergulhando nessa ficção pra entender o que se passa. Demorei um pouco para me situar na leitura, mas quando os acontecimentos ficaram mais claros passei a ler sem parar. O livro não tem capítulos, há apenas alguns espaços e tracinhos fazendo divisão no texto. Achei estranho!

Apesar de achar um pouco pesado estar diante de um paciente em fase terminal, acabei envolvida e gostando bastante de ler sobre ele. Impossível largar o livro sem descobrir o que aconteceu. Impossível não achar o amor entre Ivo e Mia uma coisa doce, verdadeira. Aquele tipo de amor que faz um cara todo errado querer ser melhor, melhor ao ponto de espalhar grafite de crochê pelas ruas.


Quanto mais perto do fim eu chegava, mais a situação de Ivo se agravava.  Eu sabia que o mistério iria acabar, tudo iria acabar... Só não sabia como. O final é esquisito, triste. O que acontece não está escrito com todas as letras, até reli para ter certeza, eu não queria ter entendido o que eu entendi, mas aconteceu. Cheguei ao fim e o que restou foi essa ideia de um jogo de A a Z que achei bem legal. Fiquei com vontade de jogar e mais cedo ou mais tarde vou experimentar.

Gostou da resenha? Beijo da Nat.

comentário(s) pelo facebook:

4 comentários:

  1. Puxa...só quem tem problemas renais pode imaginar o quanto essa doença castiga(eu perdi um rim recentemente).
    Mas fora isso, que história agoniante. Fora a doença, o estar sozinho e ao mesmo tempo, a amizade estando ali de alguém totalmente desconhecida.
    As lembranças dolorosas sendo colocadas na mesa letra a letra e trazendo a dor, a angústia, o amor...
    Preciso muito ler este livro e conhecer mais!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Geralmente eu peno duas vezes antes de ler um livro que eu acho pesado kk sou medrosa demais, Nath! Mas, ao mesmo tempo eu gosto muito porque sou curiosa, e esta história me despertou curiosidade, no momento certo, lerei! =) Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Esse Jogo do A a Z me lembrou bastante do Jogo do Contente que a tal Pollyanna faz em seu livro. Li essa resenha pensando no Ivo e em quanto é doloroso ser paciente em um hospital. Mas adorei o modo como aqui me é descrito que as páginas nada são fúnebres nem tenebrosas de sofrimento, mas repleta de pensamentos saudosos e amorosos em diversos momentos. Ivo parece incrível como pessoa, adorei o fato de fazer grafiti em crochê, assim como gostei um pouco dessa Sheila com seu jogo para alegre seu adorado paciente. Adorei a resenha e tô afim de o ler u.u

    ResponderExcluir
  4. Parece ser uma leitura diferente e bem comovente, fiquei curiosa com esse mistério todo em torno do personagem, acho que nos passa uma boa lição, afinal o personagem melhora. E querendo saber mais desse jogo achei bem inusitado.

    ResponderExcluir

 
© 2015 - Todos os direitos reservados 🐶 🐶 🐶 - Layout por Leh Pimenta