Menu

{ #RESENHA } O LIVRO DE MEMÓRIAS - LARA AVERY

18 maio 2017

RESENHA: O LIVRO DE MEMÓRIAS - LARA AVERY

Título: O livro de memórias | Lara Avery | Ano: 2016 | Páginas: 392 | Editora: Seguinte | Gênero: jovem adulto, sick-lit, romance | Adicione ao Skoob 

“Antes de tudo isso acontecer, minha memória era meu bilhete premiado. Minha capacidade de memorizar coisas me rendeu bolsas de estudo. Minha memória me fez vencer o Concurso de Soletrar do Condado de Grafton quando eu tinha onze anos. E agora ela vai desaparecer. Isso é, tipo, inconcebível pra mim.”

Samantha McCoy tem uma boa memória, sempre se planeja e já sabe o que quer fazer da vida. Na verdade, todos esses verbos deveriam ser colocados no passado. Sammie acaba de ser diagnosticada com NP-C, uma doença genética que vai fazer com que sua memória definhe, seus músculos enfraqueçam e com que ela perca o controle de si mesma.

Perder o controle do próprio corpo é aceitável para ela, mas o fato de caminhar rapidamente para a demência a assusta muito mais do que a morte. Então ela começa a escrever um material de consulta para si mesma, para que ela não se esqueça do que importa. Ela escreve tudo: seu nome, apelido, descrição da sua casa, dos seus pais e dos seus três irmãos além de muito do que ela nunca imaginou que seria tão importante na vida dela. Ela escreve para que a futura Sam se lembre. 

Nesse Livro de memórias, Sammie compartilha conosco sua rotina e seus acontecimentos mais marcantes. Conta como foi a descoberta da doença, mas, muito além da doença, ela nos conta como se formará como oradora da turma além de estudar na NYU sobre ciências políticas, sociais e direito, como ela se tornará uma grande advogada e como o seu grupo de debates na escola a ajudou a chegar nisso. Durante um tempo nós esquecemos que ela está doente, e eu, como romântica incurável que sou, tive muitas esperanças. Esse livro, no entanto, vem carregado de realidade.

Ele mostra o progresso da doença que insiste em piorar mesmo quando Sammie consegue finalmente começar algo com seu amor platônico de infância e quando reata uma amizade perdida há muitos anos. Stuart, seu antigo amor, é um escritor descolado, muito doce e que nos conquista logo de cara. Cooper, o vizinho de Sammie, tem um comportamento rebelde, mas ver que a amizade deles não morreu só deixa o coração aquecido. Ele o rebelde e conquistador, ela a menina dos debates, e Stu o menino dos livros: isso dá uma história e tanto.

RESENHA DO LIVRO  O LIVRO DE MEMÓRIAS - LARA AVER @EDITORASEGUINTE

“Sei como o amor funciona, Sam do futuro, li sobre isso na National Geographic. É um disparo de neurônios e uma descarga de dopamina, o que os cientistas chamam de química da atração. E isso, combinado com a necessidade evolutiva de se reproduzir cria um padrão de condicionado de comportamento. Você procura seu objeto de amor pelo mesmo motivo que procura um chocolate: porque quer sentir novamente aquele sabor doce.
Mas ninguém me disse como seria fácil, como seria bom. Bem... disseram. Tentaram. Shakespeare tentou, Os Beatles tentaram. Mas eu ainda não sabia que seria assim.”

Sobre esse livro: a) é sobre uma doença genética que eu nunca tinha ouvido falar; b) é escrito em forma de pequenos textos organizados como diário – que normalmente é um tipo que não gosto mas que dessa vez reconheço que precisava ser assim; c) é um livro Muito, muito real. Não é só porque Sammie é uma pessoa comum, mas porque o jeito que ela nos conta sua história nos faz sentir parte dela. Ela compartilha seus sonhos, decepções e anseios, e a autora teve uma forma tão suave de criar empatia que quando você percebe já está rindo e chorando com a história.

Cada capítulo escrito durante as crises relata com perfeição o momento, e faz com que a gente sinta ao menos um pouco daquele pânico que deve inundar Sammie a cada vez que ela perde o controle de si mesma. Além disso, é possível ver de perto o drama familiar, e de brinde, pude conhecer mais a fundo quem era Cooper (já vou adiantar: é melhor do que parece).

“Independentemente dos planos que eu faça, do quanto eu ajude meus pais, sinto que meu corpo está me decepcionando e não sei como impedir.”



Eu tenho um fraco por personagens meio nerds, então gostei da Sammie logo de cara. Ela é otimista, mas também é realista em boa parte do tempo. Ela é forte, apaixonada pela família e luta muito por tudo que ela acredita que seja capaz de fazer. Essa obra da autora também mexeu muito com o meu lado profissional: para quem não sabe, estudo medicina, e esse livro me fez lembrar que a medicina é muito limitada. Passo os dias na faculdade estudando sobre os avanços mas ainda sim muitas vezes a única coisa que a medicina pode dar é um pouco de esperança baseada em hipóteses. 

A capa do livro tem um aspecto interessante porque suas cores (muito delicadas e que combinam perfeitamente) vão ficando mais clara da parte mais alta à mais baixa, o que lembra algo que está se esvaindo. Além disso, a anotação que parece feita à mão “(...) ENTÃO ESTOU ESCREVENDO PARA LEMBRAR”, dá ainda mais o aspecto pessoal que o livro tem. A diagramação impecável, incluindo os erros ortográficos estratégicos mantidos em algumas anotações, contribuíram ainda mais para essa obra maravilhosa. Leiam!

Me contem o que acharam!

comentário(s) pelo facebook:

28 comentários:

  1. Enredo interessante, diferente e com um personagem forte. Entra com certeza na lista dos desejados. Parabéns resenha linda.😍

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Kethy! Espero que goste tanto quanto eu <3

      Excluir
  2. Olá, apesar de o tema pessoas-portadoras-de-uma-doença-x estar mais do que saturado, este ainda consegue entregar algo original uma vez que a protagonista não fica apenas se lamentando. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De maneira nenhuma, não foca na doença, e também não é aquele tipo "vou fazer tudo que puder antes de morrer", ela simplesmente quer seguir seus planos iniciais :)

      Excluir
  3. Gostei muito desse livro e achei legal a forma como é escrito, acho que fica até mais interessante pra dar aquela ideia de uma história que ela quer lembrar. Não conhecia essa doença e por isso o livro tem até um fator a mais pra chamar atenção. Acho que pode ser bem bonito ao mesmo tempo que triste. A garota parece forte e o jeito como a história é deve passar alguns dos sentimentos que ela sente, fazer a gente entender bem a personagem e se emocionar por ter coisas que dá pra se identificar ou só por compreender mesmo como tudo é pra ela.
    É um livro que está na minha lista de leituras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que esse livro atenda às suas expectativas Cris!

      Excluir
  4. Achei super interessante o livro abordar esse tipo de doença.
    E a escrita da autora parece conseguir prender o leitor do início ao fim e gosto disso.
    Estou vendo muitos comentários positivos em relação a história.
    E estou super curiosa pra ler o livro.
    Parece ser uma história bem emocionante e apaixonante mesmo.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que tenha a oportunidade de ler logo, Caroline. Engraçado que em nenhum momento eu atribuí a escrita à autora, sempre à Sammie. Estranho como o personagem se materializou tanto, né?

      Excluir
  5. Eu fico um pé atrás quando se trata de livro sobre doenças. As vezes o livro não consegue trazer o que realmente é a doença ou o que o personagem sente e a relação dele com as pessoas... mas eu gostei da história desse livro. Gosto de personagem femininas fortes rsrs já adicionei pra ler depois.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que você goste Nayane, esse realmente é um dos meus Sick-lit favoritos!

      Excluir
  6. Gostei da resenha, a história me chamou atenção, livros/filmes que relatam certas doenças, na maioria das vezes sempre me chamam atenção confesso. A escrita da autora é bem interessante e como não a conhecia, quero conhecer. Adicionei a lista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que leia logo Carol, acho que você vai gostar!

      Excluir
  7. Aposto que esse livro é a minha cara Lô! kkk Adoro personagens nerds, gosto muito de sick-lit e vejo que pelo que você disse na resenha- que devo comentar você sempre arrasa <3 -
    ele tem novas experiências para acrescentar com uma perspectiva realista e ao mesmo tempo fofa! Um beijão =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que eu faria sem vc pra me elogiar amiga? hahaha
      Espero que você leia logo, vai amar

      Excluir
  8. Oi.
    Primeiramente, parabéns pela resenha, muito bem escrita.
    Apesar de não ser um estilo de leitura que me chame a atenção, talvez venha conferir.
    A protagonista parece ser forte e corajosa e acredito que o enredo nos ofereça uma boa reflexão. Por tudo que você comentou, imagino uma boa leitura.
    Obrigada.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Oi Lô,
    Livros com esta temática sempre me emocionam muito e, mesmo sem ler O livro de memórias, não tenho dúvidas de que irei gostar desta história. Para quem planeja um futuro com muitas realizações e conquistas, perder o controle do seu corpo e sua mente antes de ter a oportunidade de alcançar suas metas deve ser a pior sensação do mundo e, neste caso, concordo com Sammie, pior que a morte. Não vou negar que sempre que leio algo do gênero me agarro a esperança de que um milagre vai acontecer e o livro terá um final feliz. Então não sei o que O livro de memória me reserva neste sentido, mais sei que é uma história que vou querer conhecer.

    ResponderExcluir
  10. Eu tinha esse livro, mas vendi sem antes ler rsrs!
    O tema não me interessou. Achei muito legal a premissa sobre ter uma doença que afeta o cérebro e tal e ela escrever um diário! mais mesmo assim não consegui pega-lo para ler, então passei adiante!

    ResponderExcluir
  11. Nunca tinha visto falar do livro e nem dessa doença, deve ser muito dificil perder o controle do proprio corpo, deve ser um livro muito emocionante ver as memorias dela, e essa edição esta linda, adorei a capa e a cor dela. Vou ter que ler, obrigado pela dica.

    ResponderExcluir
  12. Confesso que compraria esse livro pela capa, já achava ela linda antes, e nem sabia que isso das cores tem a ver com a história. Eu sempre procuro ler livros que me fazem refletir, e esse parece ser um livro em tocante e com uma história muito bonita. Nunca li nada da autora, mas parece que ela fez um trbalho incrível nesse livro. E também acho que vou gostar muito do jeito da Sammy.
    Fiquei com bastante vontade de ler esse livro =D

    Bjss ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também comrparia só pela capa hahaha, que bom que a história é condizente com a arte da capa!

      Excluir
  13. Lo!
    Gosto dos livros escritos em forma de diário, acho que a leitura fica bem mais pessoal.
    E além de nerd, gostei da protagonista porque mesmo com uma doença complicada, ela não entrega os pontos e continua indo em busca de realizar seus sonhos, mesmo sabendo que amanhã poderá não se lembrar de mais nada.
    Desejo uma semana tranquila!
    “Uma pergunta prudente é metade da sabedoria.” (Francis Bacon)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi Lô,
    também tenho um fraco por personagens NERDs, porém livros com doenças degenerativas sempre me abalam muito. E é claro sempre carrego aquela pontinha de esperança. Gostei que este livro é organizado em forma de diário, nos trazendo mais próximas a personagem.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que você tenha a oportunidade de ler, amei muito esse livro!

      Excluir

 
© 2015 - Todos os direitos reservados 🐶 🐶 🐶 - Layout por Leh Pimenta