Menu

The Good Fight

28 março 2017


Eu amo série jurídica e já contei (aqui) que The Good Wife é uma das que realmente vale a pena assistir. pois é um caso raro de ótimas historias, ótimos personagens e ótimos enredos, porem vocês sabem que tudo sempre tem um final e não foi diferente com TGW, focando nos órfãs da serie os produtores criaram um spin-off com o nome de The Good Fight e vai ser dele que falaremos hoje.

Por mais que a serie original tenha sido extremamente bem sucedida não existem garantias que a sua derivada vá agradar ao grande publico e fazer sucesso, spin off são um tiro no escuro como qualquer outra serie e vem com um agravante, o peso da serie anterior, temos diversos casos que não deram certo, o mais conhecido dele é Joey que veio como um pedaço da aclamada Friends e não teve 1/3 de seu sucesso. Quando TGW terminou houve uma rumor de que poderia ter um spin off, que se concretizou com a estreia de TGF, se passando no mesmo universo da serie finalizada, mas com um ar mais novo, fresco e jovem, é como se eles tivessem pego o que funcionou no seriado 'original' e tivessem colocado no meio de outra história, com outros personagens. 

Eu particularmente sempre gostei da Alicia (personagem central de TGW) mas acredito que a sua história, interpretação e jeito já estava cansando e o que mais gostei em TGF foi que ele tem o melhor da serie anterior e tiraram justamente o que já estava morrendo a Alicia, e o melhor é que a serie embora se passe no mesmo universo, com alguns personagens que já vimos, ela é completamente desprendida e livre, então se você não viu TGW, pode assistir TGF tranquilo que irá entender absolutamente tudo e não corre nem de longe o risco de ficar perdido na história.


O empoderamento feminino vem feito uma onda de coisas maravilhosas e mais do que isso, veio pra mostrar que as mulheres não aceitam voltar para os bastidores, não aceitam serem apenas esposas ou mães e que não vão deixar que ser direitos recém conquistados sejam tirados ou até mesmo questionados, as mulheres têm voz e elas falam extremamente forte e alto, baseado sabiamente neste mundo novo em construção os produtores acertaram sabiamente em colocar três mulheres como personagem principal.

Diane Lockhart é uma advogada experiente, segura de si, de sucesso e que esta no finalmente de sua carreira, apos ter juntado uma bela quantia, ter escolhido o seu refugio europeu, ter pedido demissão da firma que ela mesmo começou (e que leva o seu nome) e já ter escolhido a sua afilhada Maia para passar o bastão, se depara com uma das piores coisas que podem acontecer com um pessoa; a falência. Diane investiu todo o seu dinheiro em um único fundo que apos diversos esquemas abre falência e leva consigo dinheiro de quase todos os ricaços, sendo apresentada a nova e realmente cruel realidade, ela é obrigada a reconstruir sua vida o problema é que Diane foi responsável em levar milhares de seus amigos advogados como investidores do fundo, então além de estar desempregada pois ja havia assinado sua demissão, ela esta com o filme extremamente queimado entre os escritórios de advocacia e entre outros poderosos da sociedade. Devido a este conjunto de fatores ela tem que recomeçar em uma empresa menor e ainda precisa provar o seu valor, passando assim por todas os obstáculos que um recém contratado precisa passar para firmar o seu nome e importância dentro da empresa. Diane foi de longe a personagem mais constante em TGW, mesmo nos momentos em que a série não estava muito boa, o seu papel continuou firme e sendo levado com maestria pela maravilhosa Christiane Baranski (sim, ela faz a mãe do Leonard em The Big Bang Theory).

Maia Rindell é uma jovem advogada que apos passar no exame da ordem começa a trabalhar em uma grande firma de advocacia com uma amiga de seus pais (Diane), mas que vê seu mundo desmoronar quando seu pai é preso pelo FBI devido a um escândalo financeiro que levou a falência (ou a beira dela) diversos ricaços (incluindo a Diane). Sendo beneficiaria direta de todo o esquema e apesar de não saber absolutamente nada a respeito do que seu pai fez ou deixou de fazer, Maia é coloca no meio do vulcão, tendo o seu relacionamento exposto, a sua vida invadida e massacrada pela mídia, devido a este infortúnio ela acaba sendo demitida do escritório de advocacia, mas logo é convidada a se juntar a Diane na nova empresa, onde as ameaças e exposição da sua vida continuam mas pelo menos no novo escritório o seu pai nao perdeu dinheiro de ninguém.


Lucca Quin já trabalha na empresa quando Diane e Maia chegam, conhecida por ser impiedosa, sarcástica, ambiciosa na medida e muito esperta, não tem muito o que se dizer dessa personagem, quem acompanhava TGW já a conhecia mas como ela apareceu no final da série, não existe muito a se conhecer, acredito que seremos apresentados aos poucos, porém já a shipo forte com um promotor gatinho. O escritório onde as três trabalham é pequeno e ainda tem muito o que se provar e construir no mundo jurídico, mas um fato vale a pena ser comentado e exaltado, ele tem apenas funcionários negros, o que rende um dialogo sensacional entre o seu diretor e Diane no momento em que ele lhe oferece o emprego, outro momento sensacional é a reação de Diane quando Trump ganha a eleição, é simplesmente maravilhoso e hilario o choque, parece a cara da gente mesmo quando ficou sabendo o resultado das eleições e certamente Trump é uma pauta recorrente na série, pois a sua personalidade, gestão e peculiaridades não são deixadas de fora.

Com apenas 10 episódios e uma aposta levemente segura The Good Wife já ganhou a minha atenção e até agora com 6 episódios recomendo fortemente pra quem gosta de serie jurídica, bem elaborada, atual, empoderada e muito inteligente. 



Com carinho, Taay

comentário(s) pelo facebook:

9 comentários:

  1. Oi.
    Que série mais interessante.
    Eu também sou uma grande fã de série jurídica,e acho que nem preciso dizer que fiquei mega curiosa para ler.
    Adoro que tem empoderamento feminino, enfim vou assistir com certeza.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Taay!
    Acompanhei The good wife e adorava.
    Não conhecia The Good Fight e acredito que vá gostar também, porque adoro as séries jurídicas, aprendemos sempre muito, mesmo sabendo que muitas coisas são ficção.
    Valeu a dica!
    Desejo uma semana abençoada!
    “A simplicidade é o último degrau da sabedoria.” (Khalil Gibran)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  3. Gostei! Não sabia da série, realmente spin off são tiros no escuro mas, quando esse tiro acerta é sensacional! O fato que mais me chamou a atenção foi não ter "relação" com TGW, poder assistir sem se preocupar em ficar boiando por perder algo, já que não vi a série original. A história que é apresentada em TGF parece ser show de bola, vou adicionar a grade para futuramente assistir.

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia a série. Minha listinha de séries para ver só aumenta..rs e confesso que tem dias que prefiro pular as indicações, senão o pouco de vida que tenho, vai pelo ralo.
    Mas gostei muito do que li acima e vou anotar num papel.
    Quem sabe num futuro eu consiga começar ela!
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Acho até bacana série assim e aquela outra parece ser muito boa pelo que vi falando. Não conhecia esse spin-off dela...
    Parece que dá um show de empoderamento feminino e tem várias mulheres fortes na trama. Algumas carinhas já até conheço e isso desperta um certo interesse em mim pra ver como estão ali na série.
    Mas não acho que assistiria. Não é o tipo de série que vejo e já tenho tantas pra assistir que não tenho coragem de colocar outra na lista se não for uma que esteja louca pra ver mesmo.
    É uma dica boa pra quem gosta de série jurídica mesmo, umas coisas assim. Mas como disse pra mim não vai rolar =/
    Quem sabe um dia...

    ResponderExcluir
  6. Oi, Taay!
    Não curto series jurídicas por isso não me interessei por The Good Fight, mas para quem gosta do gênero e preferem series curtinhas essa parece ser uma ótima dica...
    Bjos!

    ResponderExcluir
  7. Oi Tayy,
    Eu adorava assistir TGW, mas não sabia que iriam produzir um Spin-off da série. TGW acabou no momento certo, pois estava ficando um pouco chata tendo só a Alicia como principal, todo o drama estava ficando massante. The Good Fight tem grandes chances de fazer sucesso, pois os produtores estão apostando em mais protagonistas de personalidades diferentes, que além de serem um grande exemplo de empoderamento, terão muita história para contar.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Taay!
    Gostei bastante da resenha e da indicação da série. Não conhecia essa série que é uma spin-off de TGW. Fiquei bem interessada em conhecer mais sobre essa série.
    Bjoss

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    confesso que não conhecia a série e também não conhecia a anterior. Achei interessante a temática, e pretendo assistir para ver se gosto kkkkkk, amo dicas de séries (já sigo umas 20 não é atoa). Obrigada pela dica e pela resenha!!

    ResponderExcluir

 
© 2015 - Todos os direitos reservados 🐶 🐶 🐶 - Layout por Leh Pimenta