Menu

Purê de Batata no molho de cebola

24 março 2015


Amo Purê de Batata, mas por algum motivo que eu não descobri até hoje o meu sempre empelotava  todo e isso me matava de raiva, ai algum tempo atrás eu fiz algumas pesquisa e achei umas dicas legais que resolvi testar até chegar em uma receita que ficasse do jeito que eu queria e surgiu essa receita ai em cima, com espesso molho vermelho, um purê bem fofinho e claro um arroz branquinho de acompanhamento.

Receita:
10 batatas 
3 ovos cozidos e fatiados
2 colheres de sopa de manteiga
1 cebola grande picada
250 ml de leite
1 cx molho de tomate
2 tomates picados
Sal e pimenta a gosto.

Modo de Preparo

Purê: Deixe as batatas cozinharem até ficarem bem macias, depois passe por uma peneira grossa e reserve em uma panela. Em outra panela aqueça o leite (sem deixar ferver) e acrescente a manteiga. Depois de derretida a manteiga, junte a mistura à batata amassada, mexa em fogo alto até adquirir uma consistência cremosa, não pode parar de mexer. 

Molho: Doure em um fio de azeite, a cebola, acrescente o tomate e misture até soltar o liquido. Acrescente o molho pronto, e acerte o sal e a pimenta. Se necessário acrescente um pouco de água. Abaixe o fogo e deixe cozinhar até o molho encorpar.    

Montagem: Coloque em um refratário, o purê, por cima o molho e decore com os ovos fatiados.

 


Gostou do post? clique nas redes sociais abaixo e compartilhar!♡!   

{LIVRO} A Garota que tinha medo

23 março 2015


Sempre digo que somente quem passou por um transtorno de ansiedade ou de Pânico entende o que é sentir medo sem motivo aparente.

Quando recebi o convite do autor Bruno em minha fanpage para conhecer o livro "A Garota que tinha medo" fique com um pé atrás, o livro abordava o transtorno de ansiedade (TAG) um tema muito sensível pra mim, pois enfrento o problema há cinco anos e até o momento todos os livros que li sobre o assunto não mostravam muito da perspectiva do paciente e sim de termos mais técnicos e isso acabava deixando-os bem cansativos.

Porém li algumas resenhas sobre o livro e o que é apresentando em A Garota que tinha Medo é totalmente diferente do que eu já tinha visto em qualquer livro com esse tema, existe uma sensibilidade incrível da parte do autor, que o escreveu em primeira pessoa dando ao leitor a ideia direta do que são as crises e de como elas podem começar.


Marina é um jovem que acabou de passar no tão sonhado vestibular e quer ter oportunidade de curtir tudo que essa nova fase de sua vida oferece, já que ela deixou de aproveitar muita coisa que queria durante o ano anterior para se dedicar totalmente ao vestibular.

Porém o que Marina não imaginava era que sua dedicação excessiva a levaria a desenvolver um transtorno de Pânico preocupante e desestabilizador que poderia minar totalmente essa nova fase que prometia novos amores, novas amizades e várias aventuras, além da chance de se formar no curso dos seus sonhos.
Me chame de Marina. Tenho vinte e cinco anos e sofro de síndrome do pânico desde os dezoito. Tenho ataques de pânico que podem acontecer a qualquer momento. Inclusive agora, enquanto escrevo.

Estou impressionada até agora com a sensibilidade do autor na descrição da crises da Marina e nas reações dos personagem que convivem com ela e principalmente com o desenvolvimento de Marina no decorrer da história, onde desde os primeiro capitulo você entende que ela está tentando relatar tudo que aconteceu com ela nesse momento e como foi o tratamento, ao meu ver o autor foi bem fiel nas cenas do ataque de pânico, mostrando quais são os sintomas e o que eles fazem com a mente da pessoa.

Outro fato importante no texto é que o Bruno apresenta a reação de cada personagem em relação a doença e seus sintomas, desde a mãe da Marina com suas exigências ao extremos ao seu ex- namorado e as pessoas ao seu redor e tudo isso através da visão da Marina.

Fiquei muito feliz com o convite e a oportunidade de conhecer essa historia, muito obrigada Bruno!!!

Gostou do post? clique nas redes sociais abaixo e compartilhar!♡!   

SUMIÇO + RECEITA DE MACARRÃO A BOLONHESA

16 março 2015




Juro para vocês que eu não fui abduzida por ET's, então esse não foi o motivo do meu sumiço, infelizmente foi algo mais cotidiano, meu modem foi para o além, o bonito parou, e  para dificultar ainda mais minha vida, semana passada a Mel (pra quem já acompanha o blog sabe que ela é minha inseparável e amadíssima cadelinha) me deu o maior susto, troquei a ração dela de uma marca para a outra e isso acabou criando uma bagunça na barriguinha dela e a pobre acabou passando alguns dias no veterinário.

Porém ela mandou avisar que fez uma rebelião, e mostrou ao veterinário quem mandava naquela joça e não deixou ninguém dormir a segunda noite que ela teve que passar internada, mais só vou contar mais a você sobre tudo que ela aprontou no próximo post de pet aqui no blog,

Enquanto você espera vem conferir a receitinha que eu fiz de Macarrão a Bolonhesa super fácil.

INGREDIENTES:

250 gramas de macarrão, (o de sua preferencia, nessa receita eu usei o espaguete)
350 gramas de carne moída (Patinho)
2 colheres de sopas de azeite de oliva
1 cebola grande picada em cubinhos
4 dentes de alho picados
1 caixinha de molho de tomate
- Sal e pimenta

Modo de preparo. 


Cozinhe o macarrão em bastante água salgada.

Enquanto o macarrão cozinha pique a cebola e o alho em cubinhos, depois refogue em uma panela com óleo quente, mexa até dourar.

Acrescente a carne moída, acerte o sal e a pimenta e mexa até que carne se solte e comece a dourar.

Depois de cozido, escorra o macarrão.

Quando a carne estiver dourada misture a massa de tomate, uma caixinha de água e mexa bem. Depois deixe em fogo médio até que o molho engrosse.


Dica:

O macarrão aqui em casa demora de 7 a 10 minutos para cozinhar, então quando tiver mais ou menos com 6 minutos pegue um fio e experimente para verificar se o macarrão chegou no ponto desejado.

Para sabe se o molho esta no ponto desejado e só tirar um pouco com a colher e deixar escorrer para a panela se for muito rápido ainda tem que reduzir mais um pouco.

Para diminuir a acidez do molho de tomate, adicione uma colher de chá de açúcar.

Gostou do post? clique nas redes sociais abaixo e compartilhar!♡!   

Um pouco sobre Dill Ferreira

04 março 2015

A algumas semanas atrás eu apresentei a vocês a resenha do livro Xeque- mate, que conta a historia de duas pessoas que se conheceram no carnaval carioca e depois se encontraram novamente em Goiana, ainda não leu? clique aqui.

A autora do livro  é a Dill  Ferreira, uma escritora de Rio Verde - GO, que já tem 4 livros publicados (Casamento por Aparências - LPBOOKS-BOOKS), Amor, indeciso amor -Aped, Niquito o cão jardineiro -Aped e Xeque-mate - Editora Modo, sendo esse ganhador de um concurso cultural em Goiás.

Dill gentilmente aceitou participar da entrevista aqui para o blog e mostrar um pouco mais do seu trabalho.


1. O que você diria que é um verdadeiro mocinho?
Aquele homem capaz de fazer nós mulheres suspirarmos. Que trate sua amada com muito zelo e amor. Ele não precisa ser um príncipe, só deve se portar como um quando necessário. E não pode jamais deixar de ter uma boa pegada (risos)

2. Como você sabe se você escreveu uma boa história?
Quando as leitoras vêm falar comigo sobre ela. Fazem comentários carinhosos a respeito dos personagens, demonstrando que de fato leram e gostaram. Se ela tiver bons índices de venda e leitura no Wattpad , aí é sinal de que gostaram mesmo.

3. O que vem primeiro, a história, os personagens, ou a definição?
A história e a definição. Costumo ter em mente muito do início. Parte do meio e por vezes o fim também. Tudo antes de começar a história de fato. Dificilmente altero essas partes, que já idealizo antes mesmo de adentrar o universo das personagens.

4. Tem algum escritor que te influencia na hora de escrever seus personagens?
Gosto muito da escrita da Diana Palmer dentre outros. Mas procuro criar minha própria escrita. Com minha marca, meu jeito.

5. Quando você descobriu que queria ser um escritor?
Na adolescência, lia muitos livros de romance e imaginava outras situações, diferentes das escritas nas histórias que eu lia.
Só descobrimos o que gostamos quando praticamos. E a melhor forma de descobrir-se escritor é lendo bastante para que aflore a paixão pela escrita.

6. De onde você tira as ideias para suas histórias?
Do cotidiano. Pode ser até mesmo de uma letra de música. Uma imagem na rua, na TV. Às vezes elas simplesmente aparecem.

7. Se você pudesse ser um personagem de qualquer livro, qual personagem seria?
Eu gostaria de ser a pequena sereia. Adoraria nadar na imensidão do mar. Em local mais reservado, claro. Sem tantos perigos a minha volta rssrsr.

8. O que você faz quando você não está escrevendo? 
Gosto de ler, assistir filmes e passear com a família. Adoro ver a natureza porque ela me traz uma paz infinita, inspira bastante também. Sou um pouco preguiçosa quanto a sair para muitos lugares, mas se o ambiente é bom e renovador eu adoro.

9. Você desenvolve o enredo dos personagens antes de começar a escrever uma história?
Não. Na verdade eu penso mais na história e depois vou encaixando os personagens e adaptando o temperamento e característica de cada um ao que eu já havia idealizado.

10. Qual é o mais engraçado equívoco que as pessoas fazem sobre você?
Pensam que as histórias que escrevo são baseadas em minha vida. Aconteceu principalmente no meu primeiro livro, Casamento por Aparências. Acho interessante isso, mas deixo claro que nada tem a ver comigo.

11. Como você reagi aos comentários negativos a respeito de seus livros?
Normalmente bem. Principalmente se forem construtivos. Os demais eu procuro ignorar. Mas devo admitir que alguns dão uma baqueada rápida. Logo já estou de pé novamente para a luta.

12. Por que você escreveu um livro e quando começou a escrever?
Porque sempre tive essa vontade dentro de mim, depois de certa idade. O tempo ocioso também colaborou para que eu começasse a escrever. Eu precisava tirar um pouco das ideias que tumultuavam minha mente. Comecei com 22 anos.

13. Você usa redes sociais, quais?
Sim. Facebook (www.facebook.com/autoradillferreira), Twitter (@dillfferreira) e Instagram

14. Já viveu algum fato importante por causa dos seus livros?
Vários. Um exemplo foi o recebimento do prêmio Interart Goiás com o livro Casamento por Aparências. Fiquei muito honrada com o troféu e certificado. Conheci e fiz amizades lindas também.

15. Foi muito difícil publicar seus livros? Você tentou mais de uma editora?
O primeiro normalmente é mais complicado. Isso porque você terá que pagar, às vezes caro, pela publicação. Pois normalmente somente editoras pequenas e sob demanda, aceitam manuscritos de autores iniciantes. Tentei diversas e isso não é garantia de que iremos acertar. É preciso paciência e observação nessa procura.

16. Qual foi o presente mais inusitado que você já recebeu de um leitor?
Ainda não recebi nenhum, mas adoraria. Recebi cartas e desenhos contando sobre as histórias e adorei.

17. Você mostra seus manuscritos para sua família antes da publicação?
Não. Não que eu não queira, mas eles não tiveram essa paixão pela escrita como eu.  Então prefiro evitar incomodá-los. E também não gosto muito de expô-los antes de prontos. Fico mais ansiosa ainda.


Gostou do post? clique nas redes sociais abaixo e compartilhar!♡!   

Unboxing: Recebidos de fevereiro

02 março 2015


O post de hoje é sobre os livros recebidos das parceiras no mês de fevereiro, tem muitos e para todos os gostos. 

A editora Novo Conceito, mandou os livros de janeiro e fevereiro, eu li somente a Mais Pura Verdade que é uma prévia com 95 páginas do livro que chega as livrarias somente no final de Março, olha a crueldade da NC com os blogueiros :(, quando você embala, as páginas acabaram.  Eu ainda não li os livros escrito pelos youtubers, se você já tiver lido, me conta o que achou por favor. 

Chegaram também os livros da Arqueiro que escolheu esse mês, exemplares das séries históricas que eu amo de paixão, fiz até resenha de um na semana passada, clique aqui

O Ed. Geração editorial enviou um exemplar da edição de luxo do Pequeno Príncipe, nas fotos você pode notar que eles arrasaram na edição, ficou perfeita, assim que eu postar resenha eu gravo umas imagens para vocês verem como ficou.

O autor Breno Melo enviou um exemplar de "A garota que tinha medo" para análise, o livro relata o cotidiano de uma menina que acabou de descobrir suas crises de ansiedade. 

Suma da Letras eu recebi no evento eles para livreiro aqui em BH o livro Amor não tem leis e a ecobeg do livro, meus olhos até brilharam estava doida para conhecer a historia e a coleciono ecobeg.

Recebi também alguns mimos lindos de amigos o copo veio da Alice que é colunista aqui do blog e sabe que eu coleciono copo e canecas a bolsinha de moeda meu Tio me trouxe de uma de suas viagens. 

Eu não comprei nada esse mês. A faculdade voltou e eu tive vários gastos com ela, então tive que me segurar, fui uma boa menina, :-)



 
Então, gostou do primeiro post de recebidos aqui do blog? tem algum livros que você gostaria que eu sorteasse ou colocasse no top comentarista desse mês?

Ps: Se quiser enviar algum item para análise, entre em contato pelo e-mail contato.coisasdm@hotmail.com com sua proposta.  E o leitor que quiser me presentar com uma caixinha envie um e-mail para o endereço acima, vou adorar receber uma cartinha sua. 

Gostou do post? clique nas redes sociais abaixo e compartilhar!♡!   
 
© 2015 - Todos os direitos reservados 🐶 🐶 🐶 - Layout por Leh Pimenta