Menu

Conhecendo Nana Pauvolih, a mais nova autora da editora Rocco

29 janeiro 2015


Dona de um carinho incrível com seus leitores e um sorriso fácil no rosto, a autora Nana Pauvolih (40) da cidade de Nilópolis, no Rio de Janeiro,  tem mais de 16 livros publicado no site Amazon e acabou de fechar contrato com a editora Rocco, para publicação da série "Redenção".
                                                                                                                 
Os títulos “A Redenção de um cafajeste,” “Redenção e Submissão” e “Redenção ao amor” são parte dessa série e contam com uma boa pitada de cenas picantes e conflitos emocionais. 

Nana Pauvolih conquistou vários fãs fiéis pelas redes sociais, que ela carinhosamente intitula de nanetes, leitoras e amigas que acompanham de perto o sucesso do trabalho da autora e aguardam ansiosamente por qualquer trecho de uma nova obra. 
                                                                                                                            
E hoje ela é nossa grande convidada para uma entrevista super especial.


1.    O que você diria que é um verdadeiro mocinho?
NP: Mocinho para mim é um homem que ama com todas as suas forças e se rende ao amor. Meus mocinhos, em geral, têm seus defeitos mostrados, assim como suas qualidades. Gosto que sejam intensos, únicos, cada um com sua própria personalidade. Então, um mocinho verdadeiro é aquele que conquista o leitor com sua personalidade.

2.    Como você sabe se escreveu uma boa história?
NP: Quando ao final de um trabalho eu sinto alegria e satisfação, sinto uma sensação inexplicável de euforia e felicidade. Aí eu acho que escrevi uma boa história.

3.    O que vem primeiro, a história, os personagens, ou a definição?
NP: Às vezes vem a história. Em geral penso em algo e minha mente logo trabalha o fato e monta tudo. Mas já aconteceu de sentir o personagem primeiro e daí imaginar uma história para ele.

4.    Tem algum escritor que te influencia na hora de escrever seus personagens?

 NP: Não. Eu já li muito e desenvolvi o gosto pelo erotismo ainda na adolescência quando li Cassandra Rios, mas tenho minha maneira própria de escrever. Não me influencio em ninguém, embora ache que tudo que lemos acaba ficando guardado de alguma maneira.

5.    Quando você descobriu que queria ser um escritora?
NP: Desde pequena adorava escrever. Fazia desenhos para minha mãe e embaixo criava a história do desenho. Mas aos onze anos fiz uma aposta com um amigo de quem escreveria o melhor livro. Daí, fiz o meu primeiro e nunca mais parei. Soube que faria aquilo para o resto da vida. Foi um amor pelas palavras que sinto até hoje.

  
Serie Redenção que será relançada com novas capas pela editora Rocco

6.    De onde você tira as ideias para suas histórias?
 NP: Às vezes elas surgem sem explicação. Já aconteceu de sonhar e transformar parte do sonho em livro. Como já aconteceu de determinada coisa despertar minha atenção e daí criar uma história. Uma pessoa pode me dizer algo, eu posso olhar alguém ou uma cena e daí minha mente já cria o enredo. É inexplicável, acho que o tempo todo eu vejo possibilidades, é algo entranhado em mim.

7.    Se você pudesse ser um personagem de qualquer livro, o personagem que seria?
NP: Pode ser do meu livro? Como não sei, vou responder como se fosse rsrs. Eu seria a Eva, dos meus livros Ferida e Ferida 2, simplesmente por que ela é par romântico do Theo Falcão, meu personagem principal. E eu fiquei apaixonada por ele rsrs. Pode ser loucura, mas acontece. Como já me apaixonei pelo meu personagem Antônio, de Redenção ao Amor. Eu também seria Cecília com prazer rsrsr. Acho que às vezes sinto demais o personagem, é quase como uma presença física para mim.

8.    O que você faz quando você não está escrevendo?
NP: Eu cuido dos meus filhos e da minha casa, cuido da minha gata, dos meus cachorros e das minhas plantas. Gosto muito de ouvir música e ler, adoro sair com os amigos e recebê-los em minha casa. Adoro também ir à praia. Como escrever é um trabalho até certo ponto solitário (embora eu nunca me sinta só rsrsrs), gosto muito de estar com os amigos e a família em meu tempo de lazer.

9.    Você desenvolve o enredo ou os  personagens antes de começar a escrever uma história?
NP: Em geral em escrevo um resumo e as características principais de alguns personagens. Quando a história é mais simples, começo a escrever e vou embora, até o fim, como foi com “Tudo por ele”. Foi uma delícia e muito fácil escrever esse livro. Outros, como a Série Redenção e a Série Segredos, precisam de mais cuidado, pois não posso deixar falhas de um livro para outro, então faço anotação de capítulo a capítulo. Mas não sou de demorar organizando tudo. Eu faço uma sinopse e já começo a escrever, aí vou fazendo minhas anotações.

10.    Qual é o mais engraçado equívoco que as pessoas fazem sobre você?
NP: Eu acho engraçado quando as pessoas me conhecem pessoalmente e dizem que sou muito delicada e quietinha para escrever livros tão fortes e quentes rsrsrs. Tenho uma amiga que me diz que eu devo psicografar os livros e morro de rir. Mas garanto, tudo isso faz parte de mim. rsrs


11.    Como você reage aos comentários negativos a respeito de seus livros?
NP: Eu reajo bem. Analiso de duas formas: uma, se tem fundamento e no que posso melhorar. Outra, se é por respeito ou ao contrário, uma maneira apenas de denegrir a minha imagem. Aí ignoro e só me manifesto se assim for necessário.

12.    Você usa redes sociais, quais?
NP: Uso sim, mais o facebook, onde me divulgo.

13.    Já viveu algum fato importante por causa dos seus livros?
 NP: Sim, já. Mais de um. Já ganhei amigos importantes e queridos por causa dos meus livros. Mas teve um caso, em que um livro meu trouxe duas pessoas muito queridas para minha vida. A história delas era muito semelhante a que eu escrevia. E vivi com elas momentos únicos, que me marcaram muito. Ambas, hoje, são amigas íntimas e que amo demais.

14.    Foi muito difícil publicar seus livros? Você tentou mais de uma editora?
NP: A Multifoco foi muito fácil. Mandei o exemplar e em menos de trinta dias recebi uma proposta positiva. Mas então decidi me auto publicar e conseguir uma editora grande, mas fui paciente. Eu mesma me empenhei em trabalhar e mostrar meus romances ao público. Consegui meus leitores, que são minhas nanetes queridas, sempre comigo. Fiz um grupo que hoje é um dos maiores. E mandei um exemplar do meu livro para a maior e melhor agente literária do Brasil. Não acreditei quando ela aceitou e me representou. Mostrou meu trabalho a grandes editoras e tive ótimas propostas, mas escolhi a Rocco, que sempre foi o meu sonho. Então, difícil é sim. Mas acho que se trabalharmos, nos dedicarmos, fizermos com amor e construirmos nossa caminhada com dignidade, chegamos lá.

15.    Qual foi o presente mais inusitado que você já recebeu de um leitor?
NP: Eu só recebi presentes lindos e carinhosos rsrsrs. O mais engraçado foi na Páscoa, onde conheci pessoalmente uma leitora e amiga de outro estado que veio ao Rio e ela me deu um chocolate artesanal em formato fálico, o que achei muito engraçado. Vindo diretamente da Bahia para mim rsrsrs. Amei!!!

16.    Você mostra seus manuscritos para sua família antes da publicação?
NP: Não. Nunca fiz isso. Eu escrevo e público, geralmente mostro capítulos primeiro às minhas nanetes.

Obrigada pela entrevista. Fiquei muito feliz e adorei as perguntas. Um beijão a você e a todos os leitores do blog. Feliz 2015! Beijos.


Gostou do post, clique nas redes sociais abaixo e compartilhar!♡!

comentário(s) pelo facebook:

10 comentários:

  1. Não conhecia o trabalho dela, mas agora me deu vontade de ter todos os livros ♥
    Que pessoa simpática! ^^
    AMEI a entrevista!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adrielli também me apaixonei pela simpatia da Nana.

      Excluir
  2. Nana, além de ser uma grande escritora, é uma pessoa super simpática, atenciosa... Impossível não se apaixonar pelo seu carismo tanto quanto pelos seus livros.

    ResponderExcluir
  3. Sou Nanete de carteirinha, já li TUDO da Nana Pauvolih, ADOROOO de paixão.
    Meus personagens principais é Theó, Antônio, JP e Diogo AFFFFFFF
    Torcendo para virar filme

    ResponderExcluir
  4. Confesso que não conhecia essa autora, mas fiquei curiosa em conhecer os livros da mesma... os livros dela vão para minha wishlist do ano, tomara que eu consiga lê-los haha Adorei a entrevista.
    Beijinhos,
    http://adolescentecriativaaa.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Nana parabéns você merece todo sucesso do mundo. Pode ter certeza que não ´só você que sente cada personagem como se fosse fisicamente, as vezes fico triste porque a é historia parece tão real que eu queria que fosse assim, queria estar na história. Sem contar que todos os lugares que se passa em suas historias quero conhecer como: Minas Gerais, RJ, Portugal, só para dar mais riquezas em minhas imaginações com essas historias sensacionais ... amando tudo. Espero ver suas historias no cinema, seria um sonho realizado pra mim...kkkkk... Desejo todo sucesso, beijos minha querida.

    ResponderExcluir
  6. Que fofa! Não conhecia, e fiquei tão feliz quando vi que ela é de Nilópolis. A baixada tem vários talentos incríveis e que merecem ser explorados.
    Desejo sucesso á Nana e ao blog.
    Beijinhos

    Blog Coisas da Juu

    ResponderExcluir
  7. Parabéns Nana pela entrevista que pôde demonstrar perfeitamente o que vc é: uma pessoa simples, super simpática (vide sorriso) kkkk e claro talentosa. Seus livros e personagens são únicos e envolventes,e qdo a nossa estrela tem que brilhar ela brilha!!!! Continue assim nos cativando sempre!!!! E como se diz Tú és eternamente responsável ......... Nanete forever kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  8. Meninas primeiramente quero dizer que gostei bastante da entrevista que fizeram com a autora e sinceramente confesso que o que mais me chamou atenção nas obras da autora foram as capas, mas já não sei se seria livros que eu pegaria para ler, porque eu não sou muito chegada em livros eróticos sabe? Não sei nem se é o caso, porque pode ser, mas não daqueles pesados. Eu na verdade já não curto, mas se for leve tranquilo.

    Já na entrevista tenho que dizer que gostei bastante de tudo que autora disse sobre si mesma.
    Ela me parece ser uma pessoa muito humilde e que lutou para chegar onde queria. Isso é muito bacana, porque muitos ficam desesperados em busca da fama e por isso já viu né? Tem que ser assim como ela. Ir aos poucos para conseguir tudo. Porque uma hora CHEGA. Deus coloca as coisas na vida das pessoas no momento certo e na hora certa e acho que com essa autora não foi diferente. Desejo de coração muito sucesso e que ela consiga vender mtos e mtos livros, até porque tenho me surpreendido bastante com a literatura nacional =]

    PARABÉNS MENINAS. FICOU ÓTIMO VIU?
    Já estou seguindo vocês aqui.


    lovereadmybooks.blogspot.com.br
    Depois se puder passa no meu cantinho que tem postagem NOVA =]

    ResponderExcluir
  9. Se tem uma pessoa que adoro e admiro é a Nana, tive o prazer de conhecer ela na Bienal de SP.
    Sempre muito simpática com nos leitores.
    Lê Parabéns pela entrevista, adorei muito saber mais sobre a Nana, para nos leitores é muito importante conhecer mais sobre nossos autores.

    ResponderExcluir

 
© 2015 - Todos os direitos reservados 🐶 🐶 🐶 - Layout por Leh Pimenta